ARMÁRIOS INTELIGENTES
Locker dos Correios é sucesso entre clientes do Rio de Janeiro

Atentos ao comportamento dos brasileiros no atual cenário pandêmico, os Correios seguem investindo em tecnologia e novos canais de atendimento seguros e modernos. Instalados em locais públicos de fácil acesso, como metrôs e shoppings, os lockers, ou armários inteligentes, têm sido a solução ideal para quem não pode estar em casa para receber encomendas, não possui porteiro em seu condomínio ou mora em áreas de restrição de entrega.

No Rio de Janeiro, a população já conta com 15 lockers operando em pontos estratégicos da Região Metropolitana do Estado. Desses, um em especial vem alcançando resultados bastante expressivos: o locker Colubandê, instalado no bairro homônimo do município de São Gonçalo, situado a 25 km da capital fluminense.

Desde a sua inauguração, em 17 de março, o armário inteligente do Colubandê tem feito a diferença na vida de quem reside ou trabalha na região: atualmente, o equipamento responde por 34% das encomendas postadas em lockers. Em função da alta demanda, os Correios pretendem ampliar a quantidade de gavetas do armário e instalar mais lockers em Colubandê.

Muito desse sucesso se deve à comodidade, rapidez, facilidade e segurança na hora de retirar os objetos nos lockers. Para Taiza da Silva Gama, funcionária pública moradora de São Gonçalo, o novo equipamento tornou-se a solução ideal para recebimento de encomendas. Neste período de pandemia, ela está trabalhando de casa, mas por morar em área de restrição de entrega, precisa se deslocar até o centro de distribuição dos Correios para buscar seus objetos.

“Quando soube que havia o locker do Colunbandê, logo busquei informações, fiz o cadastro no Meu Correios, e, a partir daí, utilizar o armário inteligente foi bem fácil”, disse ela. Não existir cobrança de taxa extra e o funcionamento em horário estendido também foram fatores que motivaram a cliente a aderir ao locker.

Os terminais podem operar 24 horas por dia, 7 dias por semana (respeitados os horários de funcionamento dos locais onde estão instalados). “Além dessas vantagens, a cada nova compra online, posso escolher o locker mais conveniente para mim, perto do meu trabalho no Centro do Rio, por exemplo”, pontuou a funcionária pública.

A primeira encomenda de Taiza direcionada para o Colubandê foi uma compra internacional. “Fiquei impressionada e satisfeita com o tempo entre a compra no site norte-americano e o recebimento no armário inteligente que escolhi. Foi muito rápido, questão de 15 dias até receber no meu celular o código numérico e do QR Code para retirada. Gostei tanto que sempre faço propaganda para as pessoas”, ressalta.

Onde estão – Atualmente, os armários inteligentes dos Correios estão em funcionamento no Rio de Janeiro, no Distrito Federal e, mais recentemente, em São Paulo. Está prevista, ainda para este ano, a instalação de 50 novos lockers no Estado do Rio de Janeiro e outros nove no Distrito Federal.

Além de trazer vantagens aos clientes, os lockers também cooperam para a economia de recursos e para a sustentabilidade do planeta. Ao otimizar o percurso dos carteiros, a estatal reduz a sua emissão de CO2 na atmosfera, além de diminuir o fluxo de veículos e a poluição sonora nas cidades.

Como utilizar o locker – O primeiro passo é o destinatário se cadastrar no “Meu Correios” (antigo IdCorreios), pelo APP ou pelo site dos Correios. Para encontrar o locker de seu interesse, o cliente pode digitar a sigla “LCK” no Busca Cep no site dos Correios. Esse será o seu ponto de encontro com a encomenda.

Na loja virtual, o comprador informa no endereço de entrega o CEP do locker onde deseja retirar a sua encomenda, não esquecendo de inserir o número do seu CPF/CNPJ no campo de complemento do endereçamento. O usuário pode acompanhar toda a movimentação da sua encomenda por meio do aplicativo Correios ou no Sistema de Rastreamento de Objetos (SRO).

Quando o objeto for acondicionado em um dos compartimentos do locker, o destinatário receberá, por SMS, por e-mail e pelo aplicativo dos Correios, uma notificação com o código de acesso/QR Code. O cliente tem três dias para fazer a retirada. Para isso, basta apresentar o QR Code recebido para leitura pelo terminal, que o armário abre, automaticamente, a porta do compartimento onde está a encomenda.

Em caso de dúvidas ou para mais informações, o cliente pode entrar em contato pelos telefones 3003-0100 e 0800 725 0100 ou pelo Fale Conosco dos Correios.

E-COMMERCE
Em live, especialista revela estratégias para influenciar pessoas e aumentar as vendas online

Em mais uma live do AproxiME, programa para apoiar pequenos e médios empreendedores, os Correios trouxeram como tema as estratégias para vendas de produtos de e-commerce. O convidado foi Leandro Ladeira, especialista em marketing digital, com a apresentação “Os segredos dos maiores vendedores do e-commerce”.

Na live, o criador do método “Venda Todo Santo Dia” começou falando de sua trajetória profissional, iniciada em uma agência de publicidade. O salto na carreira veio quando ele conheceu a sexóloga Cátia Damasceno, que promovia palestras em chás de lingerie, e teve ideia de ajudá-la a vender cursos on-line sobre o tema. Por meio de um canal no YouTube, o negócio deu certo e Leandro passou a ser reconhecido como autoridade em marketing digital.

Já a ponte com o e-commerce surgiu porque as alunas de Cátia queriam comprar também produtos físicos. Ao fazer um teste de vendas, eles verificaram que a operação não era tão complexa quanto imaginavam. Definidos os processos da operação, o crescimento veio rapidamente.

Um momento importante para definir seu método veio ao ler uma entrevista do diretor de marketing de uma grande empresa que comprava espaço publicitário em uma revista sobre games. A negociação era difícil e não muito profissional, então ele imaginou que sua empresa poderia criar sua própria revista para vender os produtos. Leandro percebeu, então, que quem tem o produto e é especialista no que ele resolve pode ser seu próprio criador de conteúdo.

“Imagine se você fosse a sua própria influenciadora?”. Foi o que ele ponderou com sua sócia, citando como exemplos também canais sobre finanças como “Primo Rico” e “Me Poupe”, nos quais os apresentadores – respectivamente Thiago Nigro e Nathalia Arcuri – são especialistas no tema e, ao mesmo tempo, influenciadores.

Segundo Leandro, antes os especialistas não eram comunicadores. Apareciam em programas de TV, mas não criavam conteúdo eles mesmos. Para mudar isso, decidiram que Cátia teria que ser influenciadora e fazer marketing dos próprios produtos. “Um influenciador que é especialista no que divulga traz mais credibilidade e vende mais, mesmo que sua base de seguidores não seja tão grande. Se sua base é pequena, você precisa ter um produto para vender e assim fazê-la crescer”, ressalta.

Outro ponto importante também, segundo ele, é saber anunciar. E há dois modos de fazer isso: o pago e o orgânico. O modo orgânico é no YouTube, pois o canal já é o segundo maior buscador da internet em comparação ao Google. Já os anúncios pagos seriam mais eficazes no Instagram. Quanto ao conteúdo, Leandro frisa que é importante divulgar as “urgências ocultas” do produto, ou seja, falar do que ele resolve.

Antes de encerrar a live, o especialista deixou uma dica fina aos empreendedores: após posicionar o seu negócio na venda de produtos físicos, é preciso oferecer também um produto digital, como um curso. “E este pode um dia se tornar até mais relevante do que o seu produto físico, mas o ideal é oferecer os dois. Quem não está criando um ativo digital em 2021, estará em maus lençóis em 2025”, alertou o especialista.

Sobre as lives – As lives do programa AproxiME dos Correios trazem conteúdos relevantes sobre o comércio eletrônico, com o objetivo de apoiar lojistas no fortalecimento e desenvolvimento de seus negócios, frente à tendência de aceleração do consumo digital. Os encontros virtuais ocorrem às quintas-feiras, a partir das 11h, e estão disponíveis no canal oficial dos Correios no YouTube.

Filatelia se adapta ao mundo digital durante a pandemia

A necessidade de isolamento social em virtude da pandemia de covid-19 impulsionou a migração de inúmeros setores para os meios digitais. Com a Filatelia não foi diferente. Além dos lançamentos virtuais de selos, adotados pelos Correios desde o início pandemia, um exemplo é a Brapex – tradicional exposição filatélica nacional bienal – será promovida em 2021, pela primeira vez, integralmente no formato digital.

O evento, que ocorre desde 1938 e já foi muitas vezes sediado em unidades dos Correios, teve início em 1º de agosto, data em que se comemora o Dia do Selo, e prosseguirá até 15 de agosto. O acesso gratuito será pelo site da Federação Brasileira de Filatelia (Febraf): https://www.febraf.com.br. O tema da exposição desse ano será em comemoração aos 120 anos em que Santos Dumont deu a volta na Torre Eiffel. Cerca de 50 a 60 coleções filatélicas estarão expostas.

Com o intuito de se manter o clima social do colecionismo de selos, o vice-presidente da Federação Internacional de Filatelia (FIP), Reinaldo Estevão de Macedo, destaca que, além das exposições virtuais, uma robusta rede de interligação, por meio dos grupos criados nas plataformas digitais, conecta atualmente filatelistas do mundo inteiro.

Durante a pandemia, os grupos filatélicos foram sendo criados espontaneamente, com os mais variados temas: Inteiro postal, Filatelia do Império, Filatelia da República, Censura postal, Filatelia do Interior, Escritores de Filatelia etc. Até mesmo os leilões e trocas de selos estão agora presentes nos grupos específicos.

Além dessa interação, há também as iniciativas de entidades filatélicas para reunir virtualmente os colecionadores de todo o País para palestras, trocas de informação e estudos de difusão da Filatelia. É o caso do SPP Conecta, projeto da Sociedade Philatelica Paulista (SPP), que vai ao ar todas as terças-feiras, às 20h, via Zoom – link disponível no site https://www.sppaulista.com.br.

Há ainda o projeto CTC Virtual, do Centro Temático de Campinas, que transmite as reuniões todo terceiro sábado do mês, às 10h, também pela plataforma Zoom e link disponível em https://ctc-campinas.org.br.

Para conhecer mais sobre o universo dos selos e ficar por dentro dos próximos lançamentos filatélicos, acesse o Blog da Filatelia: https://blog.correios.com.br/filatelia.

Uso de smartphones por carteiros moderniza operação e atendimento dos Correios

A ampliação do uso de smartphones pelos Correios está modernizando os serviços da estatal. Atualmente, cerca de 85% dos carteiros utilizam smartphones equipados com um aplicativo que gera aos clientes informações em tempo real sobre o status da sua encomenda ou carta registrada.

Em 2021, a empresa já atualizou mais 19 mil celulares e a expectativa é de que, até o final deste ano, mais 21 mil aparelhos sejam adquiridos, totalizando 40 mil smartphones. O objetivo das aquisições é trazer mais mobilidade às soluções dos Correios, em diversos setores como vendas, atendimento, operações, logística, tratamento, distribuição e transporte.

Com a tecnologia, a empresa também pretende aperfeiçoar etapas logísticas de grandes operações, como a entrega de livros didáticos do FNDE, com a atualização on-line das informações de entregas dos livros e de serviços internacionais – como a emissão do despacho postal, que poderá ser realizado sem a necessidade de movimentação dos objetos para uma estação fixa.

Nos centros de distribuição e de logística integrada (CLIs) dos Correios, estações móveis também irão agilizar o processo de retirada, guarda de itens no porta-paletes, separação de pedidos e expedição de itens de suprimento, pois os operadores receberão, pelos celulares, as diretrizes de armazenagem, sem a necessidade de retorno à uma posição fixa.

Os novos smartphones terão ainda papel fundamental na implementação do sistema de Registro Diário de Viagens e Ocorrências (RDVO-D), onde todos os dados da carga transportada pelos Correios serão migrados em tempo real para o sistema de gestão integrado da empresa. Nos serviços do Balcão do Cidadão, os celulares permitirão substituir etapas manuais do processo de atendimento, além de agilizar o atendimento aos clientes dos Correios.

A ampliação do emprego da tecnologia nos processos operacionais dos Correios, somada às melhorias nas plataformas e soluções digitais da empresa, é mais um passo para a modernização da estatal, tornando cada vez mais intuitiva, prática e segura a experiência do cliente.

DIA NACIONAL DO SELO
Selo postal: o trabalho por trás da arte

Dentre os motivos de orgulho nacional do Brasil, sem dúvidas, o selo postal, celebrado no próximo 1º de agosto, é um deles. Não apenas por sermos o segundo país a emitir um selo postal, o “Olho-de-Boi”, em 1843, mas, também, por produzirmos, desde aquela época, algumas das peças postais mais belas do mundo, reconhecidas em diversas premiações.

O que pouca gente sabe é que, antes de um selo chegar até as agências dos Correios e sair estampando cartas ou ser admirado pelos apaixonados pelo mundo filatélico, muita coisa acontece durante os meses anteriores: pesquisas, reuniões, desenvolvimento de briefing, projeto, produção, testes e edição final.

Emissões consideradas “rápidas” demandam em torno de três meses entre pesquisa e edição, enquanto outras podem levar até 12 meses para serem concluídas. Algumas levam um tempo maior na definição do parceiro; outras, na escolha da representação do motivo ou do estilo da arte, por exemplo. Confira abaixo mais detalhes desse processo:

Pesquisas e parcerias

Quando o tema de um selo é definido, seja porque foi aprovado pela Comissão Filatélica Nacional (CFN) ou faz parte de outras emissões previstas pelos Correios, a equipe da área de Filatelia entra em campo para que a ideia seja traduzida em uma imagem.

Dependendo do assunto, o universo que o tema do selo abrange é muito amplo e requer vários debates e ajuda de especialistas. “Por isso, buscar parceiros que nos ajudem a aprofundar o assunto é o primeiro passo”, complementa Mayra Guapindaia, historiadora dos Correios que trabalha na área da Filatelia. Em alguns casos, quando os familiares são os detentores dos direitos autorais da obra do homenageado, essa identificação é mais fácil.

Selo em homenagem aos 100 anos do nascimento de Clarice Lispector.

Foi esse o caso das emissões em homenagem ao centenário de nascimento da escritora Clarice Lispector, lançada em setembro do ano passado, e “Auto da Compadecida”, em junho deste ano. Em ambas, as famílias prontamente se dispuseram a ajudar, não apenas na liberação do uso de imagens, como também na elaboração dos textos dos editais e das artes que estamparam os selos.

No selo de Clarice, o processo foi ainda mais peculiar porque o filho da escritora, Paulo Valente, trouxe a informação de que Mariana, neta da acadêmica, é ilustradora e poderia fazer a arte, sem custo para os Correios. “Fiquei imensamente feliz com a oportunidade para ilustrar minha avó. Construí o seu rosto e o fundo do selo a partir de envelopes e retalhos de cartas que eram dela, como forma de demonstrar a sua paixão por correspondências”, conta Mariana.

Emissão “Auto da Compadecida”.

Na peça em homenagem à obra de Ariano Suassuna, o trabalho de pesquisa da Filatelia foi fundamental. “Encontramos uma bela capa de edição do Auto da Compadecida, com a imagem de Nossa Senhora feita por Zélia, esposa de Ariano. Então, nada mais justo do que ter a arte do selo feita pela musa inspiradora do autor da obra”, lembra Rosângela.

Os elementos da estética armorial, criada por Ariano, que ilustram o selo foram feitos pelo artista plástico Dantas Suassuna, filho do escritor, e pelo comunicador visual Ricardo Gouveia, amigo de longa data da família.

Técnicas de ilustração

Na hora de definir a técnica a ser empregada na arte de um selo, o olho clínico de quem entende do assunto faz a diferença. A designer Jamile Sallum explica como tem sido o seu atual processo criativo para ilustrar a série “Insetos Benéficos”, emissão especial do Mercosul, com lançamento previsto para outubro deste ano. A temática macro do selo é um tema amplo, que demandou um processo criativo mais aprofundado. “Borboletas, por exemplo, são bonitas por si só. Uma bela fotografia pode expressar a beleza de uma espécie, sem que precise acrescentar nada mais”. Porém, em outros temas, recursos como técnicas vetoriais, ilustrações por computador, podem ser necessários.

Sempre que possível, a equipe de Filatelia também conta com artistas que emprestam seu talento para a elaboração das artes dos selos. “Pode ser uma aquarela, um trabalho de colagem, grafite, vai depender muito do motivo”, explica Jamile. Para isso, a a área possui um cadastro atualizado de artistas que são convidados para as edições.

Fonte de conhecimento

Emissão “Presença Holandesa no Brasil” .

Basta uma leitura mais atenta dos editais de lançamento dos selos para se ter ideia da dimensão da riqueza de conhecimento que cada emissão representa. Não por acaso, é comum encontrá-los em teses de mestrado e doutorado. “Saber que um edital de uma emissão pode se tornar referência iconográfica aumenta ainda mais nossa responsabilidade”, salienta a designer Jamile. É o caso da emissão “Presença Holandesa no Brasil”, citada na tese do mestrado de Eliane Martins Donda, em 2010.

Para a analista Christina Dutra, que compõe a equipe da Filatelia, lidar com universos de temas tão diversos, como fauna, literatura, música, instituições e países, tem sido uma experiência transformadora. “Somos imersos no ambiente de cada emissão de forma tão profunda que passamos a ter interesse por aqueles temas pelo resto da vida”, explica a publicitária que descobriu na área da filatelia um mundo novo.

Neste 1o de agosto, celebramos o “Dia Nacional do Selo”. Confira abaixo o vídeo especialmente produzido para a data e saiba muito mais sobre o universo da Filatelia, acessando o blog: https://blog.correios.com.br/filatelia/

Correios leva CPF à comunidade quilombola do Maranhão

Única empresa pública presente em todos os municípios do País, os Correios oferecem serviços essenciais à garantia da cidadania dos brasileiros. Entre eles, estão a inscrição e regularização do Cadastro de Pessoa Física (CPF). No último dia 15, a empresa realizou um mutirão para emissão do documento para pessoas da comunidade do Quilombo Alto Grande, a 20 km do município de São Mateus do Maranhão (MA).

Para evitar aglomerações, os Correios coletaram previamente os documentos necessários e providenciaram as cópias para concluir a emissão com mais celeridade.

Maria Francisca Rodrigues Santos, 35 anos, aproveitou para tirar o CPF de dois de seus três filhos. Agora, Amanda e Júlio César, de 11 e 12 anos, respectivamente, vão poder ter acesso a praticamente todos os serviços públicos e privados que exigem CPF, como, por exemplo, a carteirinha do Sistema Único de Saúde (SUS) e matrícula em escolas

“Finalmente meus filhos vão poder se matricular na escola, um pedido que eles me faziam todos os anos, mas que para mim era muito difícil realizar”, lembra Maria Francisca, residente do Quilombo Alto Grande desde que nasceu.

Em uma manhã, a agência dos Correios de São Mateus do Maranhão emitiu 100 CPFs, quase o dobro da média mensal da unidade. Diante do sucesso do mutirão, a empresa pretende realizar outra ação semelhante, desta vez no município de São Domingos do Maranhão.

Só no último ano, foram realizadas, pela rede de atendimento dos Correios, 3,9 milhões de inscrições de Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs). O documento é obrigatório a todo cidadão cujos rendimentos estejam sujeitos ao desconto do imposto de renda na fonte.

Além da emissão para quem não tem o documento, ainda é possível fazer a regularização cadastral do CPF nas agências da empresa. Saiba mais no site dos Correios.

Obras de artista plástico de TO ganham o mundo por meio dos Correios

Diante das restrições impostas pela pandemia, reinventar-se tem sido a palavra de ordem para muitos brasileiros. O artista plástico Gedeon Tavares de Souza é um deles. Morador de Aparecida do Rio Negro, a 74 km da capital do Tocantins, ele encontrou na internet, e nos Correios, uma nova forma de comercializar os quadros pintados à mão, com tinta a óleo.

Antes da pandemia, Gedeon viajava por todo país, acompanhado da sua esposa, Daniela Cardoso Tavares, para vender as obras de arte. “O nosso propósito era levar arte e cultura por meio de exposições das telas em órgãos públicos, shoppings e outros espaços por todo o País. Com a pandemia e a impossibilidade de viajar, tivemos que nos reinventar”, relata o artista.

Por meio de um site de produtos autorais, o casal começou a comercializar os quadros na internet e o “boom” aconteceu. As pinturas a óleo, que ilustram diversas temáticas, com destaque para a cultura africana, já foram vendidas para todos os Estados do Brasil, além de países como Japão, Suíça, Portugal, Estados Unidos e Inglaterra.

Conheça as soluções para exportar pelos Correios

Sem precisarem mais sair de casa para vender as obras, eles conseguiram aumentar o tempo de produção e o faturamento. “Hoje, conseguimos levar nossa arte para o mundo graças aos Correios, que são essenciais para o nosso trabalho. Todos os pedidos que recebemos são enviados pela estatal”, ressalta o artista plástico.

O gerente da agência de Correios de Aparecida do Rio Negro, Adailton Rodrigues, confirma o sucesso do casal. “O número de postagens dos quadros é tão alto que eles se tornaram um dos nossos principais clientes na cidade”, ressalta Adailton.

Para apoiar pequenos e médios empreendedores neste momento desafiador, os Correios lançaram o programa AproxiME, um pacote de soluções para ajudar comerciantes que precisam mudar a matriz do seu negócio e dar os primeiros passos no e-commerce. Saiba mais em https://www2.correios.com.br/hotsites/aproxime.

Lei Geral de Proteção de Dados: o que o e-commerce precisa fazer?

De compras online a redes sociais, todos estão sujeitos à nova Lei de Proteção de Dados (LGPD). Em vigor desde agosto de 2020, a LGPD visa criar um cenário de segurança jurídica para o cuidado com os dados pessoais de todo cidadão que estiver no Brasil. Para falar sobre esse tema, o advogado e fundador do Instituto de Defesa do Cidadão na Internet, José Antonio Milagre, foi o convidado desta quinta-feira (24) da live AproxiME, produzida pelos Correios para apoiar pequenos e médios empreendedores neste momento desafiador.

A conformidade com a LGPD, segundo o especialista, é um diferencial competitivo para os negócios virtuais, uma vez que os consumidores estão cada vez mais atentos à importância da proteção de seus dados pessoais quando fazem compras e transações online. Confira o resumo dos principais pontos abordados na live.

Dados sensíveis

Apesar de serem insumos importantes para ações de marketing e tomada de decisões nos negócios, alguns dados pessoais são considerados sensíveis, segundo o advogado, pois sua exposição pode gerar danos, discriminação ou prejudicar pessoas, além de ferir direitos e liberdades individuais.

Como exemplo de dados sensíveis, ele citou aqueles sobre origem racial e saúde, filiação a sindicato ou organização religiosa ou política.

Direitos dos titulares

De acordo com José Antonio, existem três tipos de atores para os quais todo e-commerce deve estar atento: os titulares de dados pessoais (clientes, colaboradores ou fornecedores); o encarregado da proteção dos dados (responsável na empresa pela interface entre ela e os titulares) e os agentes que tratam dados (como a empresa responsável por hospedar seu site, por exemplo).

Alguns dos principais direitos dos titulares de dados, segundo a LGPD, são: direito ao acesso a dados que lhe dizem respeito; direito de corrigir dados incompletos, errados ou desatualizados; e saber com quais entes públicos ou privados seus dados são compartilhados.

Princípios e responsabilidades

O advogado elencou ainda alguns princípios de tratamento de dados que devem ser seguidos para adequar o seu e-commerce à LGPD. São eles: finalidade (especificar a razão da coleta de dados); necessidade (coletar apenas o que é necessário ao negócio); qualidade (ter informações corretas, íntegras e atualizadas); segurança (demonstrar que os dados estão seguros); e prestação de contas (ter documentos que evidenciem o cumprimento da lei).

José Antonio lembrou ainda que toda empresa está sujeita a ser responsabilizada judicialmente por eventuais violações à LGPD e a sanções administrativas, como multas e até a proibição total ou parcial de atividades relativas a tratamento de dados. Para concluir, o especialista ressaltou que o Sistema de Gestão da Proteção de Dados (SGPD) pode ser muito útil ao e-commerce, pois delimita uma série de passos para assegurar a conformidade das empresas com a legislação.

Sobre as lives AproxiMe – Com o objetivo de apoiar lojistas no fortalecimento e desenvolvimento de seus negócios, frente à tendência de aceleração do consumo digital, as lives do programa AproxiME dos Correios trazem conteúdos relevantes sobre o comércio eletrônico. Os encontros virtuais ocorrem às quintas-feiras, a partir das 11h, e estão disponíveis no canal oficial dos Correios no YouTube.

Coleta Seletiva Solidária dos Correios gera renda para catadores

Para cuidar das gerações futuras, os Correios buscam integrar as dimensões social, ambiental e econômica em tudo que fazem. Por meio da sua Política de Sustentabilidade, a empresa promove diversas ações para evitar desperdícios, minimizar impactos ambientais das suas atividades e contribuir para a inclusão social. Entre elas está a Coleta Seletiva Solidária, programa que garante a separação correta do lixo descartado pela empresa para reaproveitamento por cooperativas de reciclagem.

Só em 2020, a estatal destinou mais de 1,7 mil toneladas de resíduos recicláveis para 45 associações em todo o País, contribuindo para a geração de renda de mais de 750 catadores. O material mais descartado pelos Correios foi o papel/papelão (1.528 toneladas), seguido por plástico (169,50 toneladas), metal (16,23 toneladas) e vidro (0,21 toneladas).

A escolha das cooperativas cadastradas é feita por revezamento: cada associação recebe o material reciclado da empresa por determinado período. Neste mês, no Ceará, foi a vez da Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu, com sede em Fortaleza. Segundo a presidente da associação, Janete Cabral, a Coleta Seletiva Solidária dos Correios irá contribuir para aumento da renda dos associados neste período de pandemia.

“A destinação dos materiais dos Correios, principalmente papel, vai, sem dúvida, nos ajudar a aumentar a renda de nossos associados”, destacou. Janete afirma que muitos dos membros da associação não têm instrução, mas têm consciência e amor pelo o que fazem. “Sabemos da importância do nosso trabalho. Fazemos por necessidade, mas também por amor e pela causa: para contribuir com o meio ambiente e o bem-estar das pessoas”, ressalta.

Serviços ecoeficientes

A responsabilidade socioambiental dos Correios também inclui oferecer produtos e serviços que aliam inovação tecnológica e eficiência à redução de impactos ambientais. Conheça alguns dos serviços ecoeficientes dos Correios:

· e-Carta: serviço que oferece postagem eletrônica, impressão de objeto e entrega em domicílio. A impressão é feita em papel de fonte renovável, manipulada de forma ambientalmente responsável. Com o encurtamento da distância a ser percorrida para transportar o objeto, a solução promove ainda a redução de emissão de CO2;

· Mala Direta Especial: para evitar a postagem de objetos com CEPs inválidos ou mal endereçados, o serviço realiza a validação direta do CEP ao receber o arquivo eletrônico. O arquivo de CEPs incorretos é devolvido ao cliente para que ele atualize sua base de dados. Assim, são evitados devoluções e deslocamentos desnecessários.

Além de serviços ecoeficientes, 100% das caixas de encomendas e envelopes comercializados nas agências da empresa possuem a certificação Forest Stewardship Council (FSC), do Programa Brasileiro de Certificação Florestal, que assegura a exploração sustentável das florestas.

Programa Ecopostal dos Correios beneficia mulheres em situação de vulnerabilidade

Uniformes de carteiros se transformam em novos objetos, gerando renda para famílias em situação de vulnerabilidade social. Foto: Correios/Divulgação

Doar uniformes de carteiros, malas e malotes sem uso para a empresa, mas em bom estado de conservação, para serem transformados em outros objetos. Esse é o objetivo do programa Ecopostal, realizado pelos Correios desde 2013. Por meio da iniciativa, cooperativas selecionadas em diversos Estados transformam artesanalmente os itens inservíveis, que seriam descartados, em materiais que geram emprego e renda para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Na capital federal, camisas de carteiros doadas pelos Correios estão sendo usadas para a confecção de roupinhas de bebê para o programa “Mães Unidas”, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) em parceria com a instituição BPW Brasília.

O objetivo do projeto é proporcionar apoio às gestantes e às mães de crianças com até dois anos de idade. As mulheres atendidas devem ser, preferencialmente, adolescentes, beneficiárias do Programa Bolsa Família, e mães de crianças com deficiências.

Dentro do projeto, haverá a distribuição das “caixas do bebê”, mini-berços com enxoval, materiais de higiene, fraldas e roupas para as primeiras semanas de vida da criança. Mais de 520 conjuntinhos infantis confeccionados com os uniformes do projeto Ecopostal dos Correios vão compor o enxoval.

A presidente da BPW Brasília, Bernadeth Martins, se emociona ao falar da ação. “Esse projeto é muito incrível. A gente pega cada camiseta dos Correios, corta e transforma nessas belezuras”, diz, mostrando uma roupinha de bebê feita com o tecido amarelo.

A BPW Brasília também promove a capacitação de mulheres vítimas de violência doméstica e em situação de vulnerabilidade, por meio de oficinas realizadas com artesãs do Distrito Federal. Em apoio ao projeto, o programa Ecopostal já doou mais de 64 mil itens para as oficinas, entre camisetas, malotes e malas, que se transformaram em produtos como máscaras de proteção facial e mochilas.

O programa Ecopostal já doou mais de 64 mil itens para confecção de produtos como máscaras de proteção facial e mochilas. Foto: Divulgação

Ecopostal – A cada seis meses, uniformes de empregados dos Correios e malotes inutilizados pelo desgate são substituídos por novos itens. Até 2013, por questões de segurança, todo esse material inservível era jogado no lixo. Com a criação do programa Ecopostal, a empresa encontrou um novo destino para esses objetos.

Ao direcionar os tecidos para ações de reaproveitamento, o projeto reduz impactos ambientais e ainda promove inclusão social e geração de renda. A ação reforça o compromisso dos Correios em ser uma empresa socialmente responsável, economicamente viável e ambientalmente correta.