Programa Ecopostal dos Correios beneficia mulheres em situação de vulnerabilidade

Uniformes de carteiros se transformam em novos objetos, gerando renda para famílias em situação de vulnerabilidade social. Foto: Correios/Divulgação

Doar uniformes de carteiros, malas e malotes sem uso para a empresa, mas em bom estado de conservação, para serem transformados em outros objetos. Esse é o objetivo do programa Ecopostal, realizado pelos Correios desde 2013. Por meio da iniciativa, cooperativas selecionadas em diversos Estados transformam artesanalmente os itens inservíveis, que seriam descartados, em materiais que geram emprego e renda para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Na capital federal, camisas de carteiros doadas pelos Correios estão sendo usadas para a confecção de roupinhas de bebê para o programa “Mães Unidas”, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) em parceria com a instituição BPW Brasília.

O objetivo do projeto é proporcionar apoio às gestantes e às mães de crianças com até dois anos de idade. As mulheres atendidas devem ser, preferencialmente, adolescentes, beneficiárias do Programa Bolsa Família, e mães de crianças com deficiências.

Dentro do projeto, haverá a distribuição das “caixas do bebê”, mini-berços com enxoval, materiais de higiene, fraldas e roupas para as primeiras semanas de vida da criança. Mais de 520 conjuntinhos infantis confeccionados com os uniformes do projeto Ecopostal dos Correios vão compor o enxoval.

A presidente da BPW Brasília, Bernadeth Martins, se emociona ao falar da ação. “Esse projeto é muito incrível. A gente pega cada camiseta dos Correios, corta e transforma nessas belezuras”, diz, mostrando uma roupinha de bebê feita com o tecido amarelo.

A BPW Brasília também promove a capacitação de mulheres vítimas de violência doméstica e em situação de vulnerabilidade, por meio de oficinas realizadas com artesãs do Distrito Federal. Em apoio ao projeto, o programa Ecopostal já doou mais de 64 mil itens para as oficinas, entre camisetas, malotes e malas, que se transformaram em produtos como máscaras de proteção facial e mochilas.

O programa Ecopostal já doou mais de 64 mil itens para confecção de produtos como máscaras de proteção facial e mochilas. Foto: Divulgação

Ecopostal – A cada seis meses, uniformes de empregados dos Correios e malotes inutilizados pelo desgate são substituídos por novos itens. Até 2013, por questões de segurança, todo esse material inservível era jogado no lixo. Com a criação do programa Ecopostal, a empresa encontrou um novo destino para esses objetos.

Ao direcionar os tecidos para ações de reaproveitamento, o projeto reduz impactos ambientais e ainda promove inclusão social e geração de renda. A ação reforça o compromisso dos Correios em ser uma empresa socialmente responsável, economicamente viável e ambientalmente correta.

8 de março – Dia Internacional da Mulher

A data rememora conquistas
E lembra também que há outras para impulsionar
Voto, trabalho, independência
Lutas de um tempo, impossíveis de apagar

No dia a dia são incontáveis histórias
Da força feminina
que não se pode questionar

Não é preciso se aprofundar, basta observar
Em todas as posições elas estão a trabalhar
Na rua, a carteira
No balcão, a atendente
Na mesa, a analista
Em todas elas, a disposição para novos lugares desbravar

São motivo de orgulho as vitórias
Que hoje podemos comemorar
Para inspirar novos desafios que não param de chegar
Coragem e determinação para cada obstáculo ultrapassar
Com a certeza que todas podem alcançar o que seu coração planejar

Devemos reconhecer e admirar
Todos os dias
O valor das histórias que toda mulher tem para contar

Novas entregas de solidariedade

Neste momento de enfrentamento à COVID-19, a responsabilidade social é ainda mais essencial. Por essa razão, desde o início da pandemia no Brasil, mobilizamos nossa infraestrutura logística em uma grande rede de cooperação, para ajudar a salvar vidas e proteger, principalmente, os mais vulneráveis.

Nossas ações abrangem desde o transporte de material viral até a entrega de medicamentos em áreas remotas, envolvendo empregados, comunidade científica, entidades públicas e privadas em diferentes frentes. Em recente parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), também doamos camisas de carteiros e malotes postais inservíveis aos Correios, que estão se transformados em máscaras faciais, toucas, mochilas e sacos de dormir para uso de pessoas em situação de rua.

Por meio do Programa Pátria Voluntária, do Governo Federal, e do projeto Ecopostal, realizado pela estatal, os materiais estão sendo entregues, desde maio, a entidades sem fins lucrativos. Só em Brasília, mais de 5 toneladas de tecidos, entre camisas, bolsas e malotes, já foram doados.

Leia mais “Novas entregas de solidariedade”

DIA DO MEIO AMBIENTE
Sustentabilidade dos Correios é reconhecida internacionalmente

Ser uma empresa socialmente responsável, economicamente viável e ambientalmente correta. Essa é a base da Política de Sustentabilidade dos Correios, que integra as dimensões social, ambiental e econômica nos negócios e em toda a cadeia de valor da empresa. Neste 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, destacamos as principais ações que realizamos para evitar desperdícios, minimizar os impactos ambientais das nossas atividades e sermos mais competitivos no mercado concorrencial.

Entre as boas práticas, a nossa gestão das emissões dos gases do efeito estufa, realizada desde 2013, merece destaque. Ano a ano, reduzimos de forma expressiva a liberação de gás carbônico na atmosfera. Segundo dados do último Inventário Corporativo de Emissão de Gás Carbônico da empresa, em 2019 reduzimos em 33,5% as emissões de CO₂ em comparação ao ano-base de 2013.

Na soma dos últimos seis anos, deixamos de lançar na atmosfera mais de 180 toneladas de carbono. Além de proteger o planeta e o meio ambiente, esse desempenho também gera valor a títulos comercializados por empresas que participam do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3) da bolsa de valores e que utilizam os serviços dos Correios.

CO₂ em toneladas: gráfico evidencia diminuição gradativa das emissões de carbono dos Correios nos últimos 6 anos.
Leia maisDIA DO MEIO AMBIENTE
Sustentabilidade dos Correios é reconhecida internacionalmente”

SOLIDARIEDADE EXPRESSA
Correios leva ajuda humanitária em casos de calamidade ou emergência

Correios realiza transporte gratuito de donativos em casos de estado de emergência ou de calamidade. (Foto: Divulgação/Correios)

Sandra Santos

Desde janeiro, fortes chuvas castigam Minas Gerais. Temporais caíram sobre várias regiões por horas e transformaram o cenário de muitas cidades. Ao virar o mês, 196 municípios mineiros estavam em situação de emergência e outros cinco em estado de calamidade pública. Em Belo Horizonte e região metropolitana, por exemplo, foi registrado o maior volume de chuvas para o mês de janeiro dos últimos 110 anos, desde que começou a medição.

Para que a ajuda humanitária chegue rápido aos milhares de desabrigados e desalojados espalhados por Minas, a atuação dos Correios é essencial. “Nenhuma outra transportadora, mesmo que o estado tivesse condições de pagar, teria prestado um serviço como este que os Correios prestam. Sem o apoio da empresa, essa distribuição de donativos ficaria muito prejudicada. São locais de acesso difícil. Os Correios acabaram fazendo com que os donativos, alimentos remédios, coisas urgentes, chegassem até às mãos das pessoas que precisam de forma rápida”, reconhece o governador de Minas Gerais, Romeu Zema. 

A ação institucional “Solidariedade Expressa” é uma iniciativa realizada pela empresa sempre que ocorrem situações que envolvem estado de emergência ou de calamidade. A qualquer momento, seja dia, noite, feriado ou fim de semana, os Correios estão a postos para fazer o transporte gratuito de donativos.

Leia maisSOLIDARIEDADE EXPRESSA
Correios leva ajuda humanitária em casos de calamidade ou emergência”

Troca de cartas auxilia na leitura e escrita de alunos em MT e PR

Mais de mil quilômetros separam 40 alunos do primeiro ano do ensino fundamental das cidades de Tesouro, em Mato Grosso, e Itambé, no Paraná. Distância vencida por meio da troca de correspondências entre as duas escolas públicas.

A tradicional carta tem sido a aliada das professoras das duas turmas – uma com 15 e outra com 25 estudantes – para trabalhar a leitura e a escrita. “Pensei em uma metodologia para desenvolver essas habilidades com maior facilidade e a ideia das cartas foi aprovada pelos alunos”, contou a professora Evânia Carmo Leão Heintze, da Escola Estadual Arnaldo Estevão de Figueiredo, de Tesouro (a 379 km de Cuiabá). Para colocar em prática o “Projeto Minha Cidade Meu Mundo”, ela contou com a participação da professora Margareth de Branco Costa, da Escola Municipal Domingos Laudenir Vitorino, de Itambé (a 441 km de Curitiba).

Segundo Margareth, como as crianças estão em fase de alfabetização, ela auxilia na redação das cartinhas, escrevendo no quadro o que os alunos demonstram interesse em perguntar a seus colegas de Mato Grosso. Eles também desenham o que mais gostam na sua cidade como forma de apresentação aos novos amigos.

Leia mais “Troca de cartas auxilia na leitura e escrita de alunos em MT e PR”