Correios é o principal aliado de pequenas livrarias na pandemia

Ruan Souza abriu um sebo virtual durante a pandemia. Foto: Arquivo Pessoal

Se antes da pandemia de COVID-19 os Correios já eram os maiores parceiros do comércio eletrônico brasileiro, com a concentração das vendas on-line a empresa passou a ser o principal aliado de muitos empreendedores. Uma solução exclusiva da estatal tem viabilizado, por exemplo, a inserção de pequenas livrarias e sebos do País no mercado das vendas on-line.

Chamado registro módico, o serviço dos Correios para envio de livros e material didático é cerca de 50% mais barato que o frete convencional. Isso porque a solução não cobra pela distância, mas pelo peso: um envio de livro para outro Estado custa o mesmo que para alguns quarteirões de distância.

Foi graças a essa opção de envio que muitos livreiros conseguiram manter seus negócios na pandemia e, até mesmo, aproveitar o aumento das vendas online. O segmento foi um dos que mais cresceu no e-commerce: a venda de livros físicos pela internet aumentou 44% no ano passado, na comparação com o ano anterior.

Para o livreiro Deyvisson Machado, os serviços dos Correios são os mais justos do mercado. Foto: Arquivo Pessoal

O microempreendedor Deyvisson Cardoso Machado viu as vendas da sua livraria on-line despencarem no início da pandemia, mas conta que, desde julho, o aumento da demanda foi de quase 50%. “Muitos estudantes, graduandos e doutorandos aproveitaram a quarentena para colocar em prática suas pesquisas. Hoje, mesmo sendo um microempreendedor, estou mais tranquilo em relação às vendas”, comemora.

Leia mais “Correios é o principal aliado de pequenas livrarias na pandemia”

CONFERÊNCIA AICEP
Adaptação é ordem para logística do e-commerce pós-pandemia

Os números são incontestáveis: a pandemia do novo coronavírus acelerou a tendência de crescimento do comércio eletrônico em todo mundo. Em 2020, o Brasil registrou um aumento de 41% no faturamento das operações de comércio eletrônico e de 30% no volume de pedidos online. O País possui, atualmente, quase 80 milhões de consumidores digitais, segundo dados das consultorias Ebit|Nielsen.

Com objetivo de avaliar as mudanças e desafios logísticos para o e-commerce neste novo cenário, os Correios participaram, nesta terça-feira (30), do primeiro ciclo de conferências de 2021 da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP), em parceria com os CTT – Correios de Portugal. O tema do encontro foi “O grande salto do e-Commerce – Crescer o negócio” (assista aqui).

Representando os Correios, o diretor de Negócios da estatal, Alex do Nascimento, falou sobre como a empresa brasileira tem se reiventado para se adaptar aos novos hábitos de consumo e ao aumento de volume de encomendas. “As compras online internacionais, por exemplo, cresceram no último ano cerca de 52%. Para nós, essa alavancagem do e-commerce foi encarada tanto como uma oportunidade quanto como uma necessidade de oferecer novos serviços, apoiando a sociedade brasileira neste momento tão difícil”, disse.

O diretor de Negócios dos Correios representou o Brasil na conferência da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP).

Como exemplo, além das adequações às novas regras e cuidados sanitários, o diretor citou que a estatal tem intensificado a redução dos preços do frete e dos prazos das entregas de encomendas em milhares de trechos pelo País (leia mais). Além disso, os Correios apostaram na inserção de novas tecnologias e no maior grau de digitalização dos seus serviços, a partir de um olhar centrado na experiência do cliente.

Uma das novas soluções dos Correios, citadas pelo diretor, foram os armários inteligentes, lançados em outubro de 2020 no Rio de Janeiro e no Distrito Federal (leia mais). “Além de reduzir custos logísticos, com os Lockers o cliente tem muito mais comodidade: ele decide onde e quando quer receber o seu objeto. Em breve, o Estado de São Paulo também receberá os armários inteligentes dos Correios”, salientou.

O diretor de Negócios dos Correios também falou sobre a diversificação dos produtos aceitos pela empresa, como itens menores e mais sensíveis. “O momento atual exige dos operadores logísticos entregas mais rápidas e preços reduzidos. Já iniciamos um teste-piloto para entrega dentro de 2 a 4 horas na cidade de São Paulo. Isso demanda uma redistribuição do processo logístico e a criação de novos armazéns”, ressaltou.

Seguindo essa tendência de adaptação , que de acordo com Alex é a palavra de ordem para a rede logística pós-pandemia, os Correios agregam um conjunto de outros serviços que vão além da logística. Um exemplo é o programa Aproxime, iniciativa criada para fortalecer o comércio eletrônico, auxiliando pequenas e médias empresas a alavancarem negócios no digital. “Não fazemos só entregas, somos um prestador de serviços relevantes para crescimento do comércio eletrônico”, frisou o dirigente.

Também participaram da conferência virtual, o presidente executivo dos CTT Correios de Portugal, João Bento; o diretor de E-commerce dos CTT Correios de Portugal Alberto Pimenta; o diretor de Negócios dos Correios do Brasil, Alex do Nascimento; o fundador e CEO da Tupuca, Erickson Mvezi; e o diretor de E-commerce da SonaeMC, Pedro Santos.

REDE VÍRUS
Como a logística dos Correios tem apoiado o combate à COVID-19

Os Correios são operadores logísticos da Rede Vírus, comitê do MCTI que desenvolve diagnóstico e tratamento no combate à COVID-19. Foto: Divulgação/ Correios

Pelas ruas de São Paulo (SP), uma van dos Correios transita levando uma carga preciosa: amostras do novo coronavírus para serem analisadas por cientistas e pesquisadores de diversas universidades do Brasil. Mais uma vez, em seus 358 anos de existência, comemorados no último dia 25, a estatal é responsável pela logística de uma das iniciativas mais importantes para o País, agora com foco no combate à COVID-19.

Desde o início da pandemia, os Correios atuam na operação da Rede Vírus, comitê do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) que reúne diversas instituições renomadas, como Fiocruz, Butantan e USP, com o objetivo de desenvolver diagnóstico, tratamento, vacinas e produzir conhecimento sobre o vírus.

Todas etapas das entregas dos Correios são fotografadas para maior controle da operação.

Conectando os diferentes pontos dessa rede, os Correios têm tido um papel fundamental para o sucesso logístico da iniciativa: é a estatal quem transporta e distribui as amostras de vírus, medicamentos e testes clínicos entre os laboratórios e universidades, com toda agilidade e segurança necessárias à operação.

Por se tratar de material biológico e perecível, os prazos de entrega nos destinos são muito curtos, o que exige tratamento e controle logístico diferenciado para garantir a integridade das amostras.

Fases

Na primeira fase da Rede Vírus, ainda em março de 2020, iniciaram-se as primeiras coletas de material biológico (vírus inativo) no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) e no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo (SP). De lá, a estatal transportava as mostras para cinco universidades: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), USP/Ribeirão Preto, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Feevale (Novo Hamburgo/RS).

Equipe dos Correios (de azul) no Hospital Municipal de Barueri (SP). Foto: Divulgação/Correios

A partir do resultado das pesquisas da primeira fase, em meados de abril, os Correios passaram também a fazer a coleta de medicamentos da Eurofarma para a distribuição em hospitais, tanto militares quanto civis, de vários Estados do Brasil. Os remédios foram utilizados para fins de testes em pacientes com COVID-19. Em São Paulo, participaram dessa fase da Rede Vírus o Hospital das Forças Armadas de São Paulo, Hospital Albert Sabin de São Caetano do Sul, Hospital Municipal de Barueri, Hospital das Clinicas de Mogi das Cruzes e Hospital Geral de São Mateus.

Logo em seguida, os Correios passaram a realizar, de forma simultânea, além das entregas dos medicamentos, coletas diárias de testes clínicos realizadas nesses hospitais em pacientes com COVID-19 e encaminhadas, com rigoroso controle, para as análises do CT Vacinas de Belo Horizonte (MG).

Eficiência reconhecida

CDL colorido para facilitar a identificação prioritária nas unidades dos Correios.

Para maior controle da operação, os recipientes dos Correios que armazenam os materiais da Rede Vírus possuem cor diferenciada. Assim, quando a carga é encaminhada aos terminais aéreos dos Correios em Jaguaré, Guarulhos e Rodoanel, por transportes viário ou aéreo, os CDLs (Contêineres Desmontáveis Leves) são fotografados para registro do número da linha, do horário e do local de recebimento. As fotos são enviadas ao grupo da Rede Vírus para que o responsável pela carga já esteja a postos no momento da entrega.

Segundo o coordenador da Rede Vírus em São Paulo (SP), Valmy Farias Cavalcante, a qualidade da operação logística dos Correios tem recebido constantes elogios e reconhecimentos das equipes do MCTI e da Rede Vírus. “Esse trabalho é motivo de muito orgulho para a nossa empresa. Tivemos, inclusive, o reconhecimento do próprio ministro Marcos Pontes, numa das visitas realizadas no Hospital Municipal de Barueri (HMB)”, afirmou.

Toda a operação logística da Rede Vírus é coordenada pelo Departamento de Logística (DELOG) dos Correios, em Brasília, que por sua vez fornece todas as diretrizes para o CLI Concursos – Gerência de Logística (GELOG/SPM), unidade dos Correios que recebeu a missão de fazer toda a coordenação operacional de distribuição e coletas para todo o Brasil.

COMPRAS NO EXTERIOR
Entenda os fluxos postais e acompanhe a sua encomenda internacional

Agora que você já sabe que toda compra internacional é uma importação e conhece os diferentes tipos de fretes, é hora de saber mais sobre todos os fluxos postais envolvidos nesse processo.

Como já dito nas matérias anteriores, até chegar na sua casa, a encomenda vinda do exterior passa por várias etapas e procedimentos. Abaixo, vamos detalhar cada um deles:

Envio e chegada ao Brasil

No país de origem, os objetos são enviados de acordo com o método de envio contratado (saiba mais). Quando chegam ao Brasil, são direcionados para um dos três centros internacionais (CEINTs) da empresa, situados nos ambientes aeroportuários de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Cada local recebe categorias específicas de objetos, as cargas mais pesadas, por exemplo, são geralmente destinadas ao CEINT/RJ.

Procedimentos aduaneiros

Depois de dar entrada no País, alguns pacotes podem ter sido danificados durante o envio internacional. Por isso, os Correios tentam restaurar esses objetos e solucionar possíveis problemas com o endereço do destinatário. Se a encomenda não tem nenhum dano, ela passa por uma inspeção de raio X.

Casa sejam sinalizadas inconformidades ou ilegalidades, a encomenda é separada para análise da Polícia Federal e demais órgãos anuentes, como Anvisa, Exército e Ministério da Agricultura (Mapa), que podem impedir a entrada de itens proibidos no território nacional.

Após passar pelo raio X e pela inspeção de cães farejadores, se o objeto apresentar diferenças em relação ao que foi informado ele será encaminhado para análise da Alfândega brasileira, podendo ser taxado ou devolvido ao país de origem. Pacotes suspeitos podem ser abertos para análise e enviados para avaliação fiscal.

Todas as encomendas vinda do exterior podem ser taxadas, mesmo aquelas que não apresentam problemas.

Entrega ou devolução

Antes de liberar a entrega do objeto, autoridades alfandegárias também podem solicitar ao destinatário documentações complementares, como provas de valor e conteúdo, receita médica ou autorização de importação. Caso os documentos não sejam entregues dentro do prazo estabelecido, o item poderá ser destruído, doado ou leiloado.

Os objetos internacionais são armazenados pelos Correios por até 30 dias. Após esse período, são devolvidos ao remetente. A Alfândega também determina que objetos com descrições imprecisas ou incompletas sejam retornadas ao país de origem. Além disso, informações falsas podem gerar multas consideráveis para o destinatário.

Se forem liberadas pela Alfândega, todas as encomendas internacionais recebem a cobrança do despacho postal, valor de R$ 15 pago aos Correios pelo suporte às atividades de tratamento aduaneiro. Após o pagamento, os objetos são encaminhados aos centros logísticos dos Correios, espalhados por todo o País, para tratamento e distribuição.

O tempo de entrega irá depender do tipo de frete contratado. Se em até três tentativas, não for possível realizar a entrega, o objeto é enviado novamente ao remetente, por meio do centro internacional dos Correios em São Paulo (SP).

Aplicativo Correios: acompanhe a sua encomenda

Além do acesso pela plataforma “Minhas Importações”, no site dos Correios, agora você também pode acompanhar informações sobre a sua encomenda internacional pelo aplicativo Correios. A ferramenta oferece opções para efetuar o pagamento de impostos e serviços relacionadas às suas compras no exterior.

Basta acessar o app, cadastrar o seu CPF e senha, clicar em “Rastreamento” e digitar o código de rastreamento do objeto. Ao clicar no item, observe a informação que aparece na tela. Se aparecer “Aguardando pagamento do despacho postal”, por exemplo, basta clicar sobre a informação para visualizar a opção para pagamento por cartão de crédito ou boleto.

Esteja atento ao prazo de 30 dias para confirmação do pagamento do despacho postal. O boleto pode levar até 3 dias para ser processado. Por isso, acompanhe de perto o seu objeto: assim que concluir a sua compra internacional e obtiver o código e rastreio, efetue o pagamento dos serviços postais e tributos.

Dica: Para ser avisado sobre pendências de pagamento, ative as notificações do app e adicione uma descrição para cada um dos seus objetos internacionais (ex: “Presente de aniversário”).

Mais segurança na entrada de objetos internacionais no País

As compras em sites do exterior estão cada vez mais populares entre os brasileiros. Quando chegam ao país, todas as encomendas internacionais tratadas pelos Correios seguem um caminho padrão: são direcionadas a um dos Centros de Tratamento Internacionais (CEINTs) da empresa, situados no ambiente aeroportuário de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Novos esquipamentos de raio X dos Correios: maior precisão para inspecionar objetos

Para garantir a segurança na entrada desses objetos no País, os Correios investiram cerca de R$ 14 milhões na aquisição de 59 novos equipamentos de raio X. Os primeiros aparelhos já foram instalados, no último mês, nos CEINTs do Rio de Janeiro (RJ) e de Valinhos, no interior de São Paulo.

Além de aumentar em até quatro vezes a capacidade de inspeção das encomendas, o novo maquinário permite visualizar os objetos em 2D, o que evitará a entrada de itens perigosos e proibidos, como inflamáveis, drogas e armas. “O próprio equipamento identifica ainda inconsistências entre o que foi declarado pelo remetente e o que realmente consta no pacote”, explica Marco Aurélio Montezuma, gerente da atividade de captação do CEINT/RJ.

Uma vez identificado o que há dentro do pacote, também é possível combater a evasão de divisas. O controle aduaneiro desenvolvido no CEINTs é realizado em parceria com a Receita Federal com o objetivo de combater fraudes tributárias e desvios aduaneiros.

O Centro de Tratamento Internacional dos Correios no Rio de Janeiro (Ceint/RJ) foi um dos primeiros a receber os novos equipamento. (Foto: Divulgação/Correios)

Fluxos

Se não for detectada irregularidade durante as inspeções, a encomenda internacional segue o seu percurso no fluxo postal. No entanto, caso sejam sinalizadas possíveis inconformidades ou ilegalidades, a encomenda é separada para análise criteriosa.

É realizado então um processamento pela Polícia Federal e pelos demais órgãos anuentes: Anvisa, Exército e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Após a liberação do objeto, este é cadastrado no sistema dos Correios.

Passadas essas etapas, o objeto é armazenado e fica aguardando pagamento do Despacho Postal para ser separado e distribuído ao cliente. O prazo para pagamento da taxa é de 35 dias. Caso ele expire, o objeto é submetido novamente ao raio X do CEINT e devolvido ao remetente. Concluída a etapa do pagamento, a encomenda está pronta para seguir seu caminho final, rumo ao endereço de destino.

BLACK FRIDAY
Compra internacional: entenda as opções de frete e faça a melhor escolha

Vai aproveitar as ofertas desta Black Friday em sites do exterior? Agora que você já sabe que toda compra internacional é uma importação, é hora de conferir as modalidades de entrega e como acompanhar o envio da sua encomenda.

Você sabia que, depois do pagamento dos impostos e/ou serviços postais, o prazo médio de entrega dos Correios é de apenas quatro dias úteis (nas modalidades mais rápidas de frete)? Para fazer a escolha mais adequada, você só precisa colocar na balança a sua urgência em receber a encomenda e o valor que está disposto a pagar pelo serviço de entrega.

Leia mais: Quer comprar em sites dos EUA que não entregam no Brasil? Conheça o Compra Fora!

Se deseja receber rápido a sua encomenda, o “frete grátis” oferecido por algumas lojas virtuais pode acabar sendo um problema, pois é a opção com maior prazo de envio: até 40 dias úteis. Para quem tem urgência, a melhor escolha é o frete expresso Express Mail Service (E.M.S), com prazo médio de 3 dias úteis. Este serviço admite objetos de até 30kg.

Outra opção de frete expresso, com as mesmas vantagens do EMS e prazo médio de entrega de 4 dias úteis, é o Correios Packet Express, feita por contratação direta com os Correios do Brasil . Nas lojas virtuais, ele pode aparecer como Brazil Direct Mail, Brazil Priority Line, entre outros nomes. O código de rastreamento dos objetos contratados nessa modalidade começa com as letras IX.

Agora, se você não tem tanta urgência, a melhor opção para conciliar “preço X prazo” é o Correios Packet Standard. Com prazo médio de entrega de 12 dias úteis, a nova solução dos Correios, lançada em 2019, tem sido muito utilizada pelos brasileiros pelo excelente custo–benefício e ótima performance na entrega. O código de rastreamento começa com as letras NX.

Quando sua compra for concluída, anote o código de rastreio informado pelo site de compra, composto por 13 caracteres: 2 letras (modalidade de entrega) + 9 números + 2 letras (país de origem). Ex: ER123456789CN (item da modalidade expressa proveniente da China).

Para pequenos pacotes, de até 2 kg, os Correios oferecem mais uma opção de frete standard: o serviço Prime, com prazo médio de 12 dias úteis. Também chamado de E-Packet, Priority Mail, Expedited Shipping, Priority Shipping ou Brazil Direct Mail, o seu código de rastreamento começa com a letra L.

No site dos Correios você pode conferir mais informações sobre todas as modalidades de fretes disponíveis para encomendas internacionais. Acesse aqui.

Acompanhe a sua encomenda

Além de escolher o frete que melhor atenda às suas necessidades, no momento da compra também é importante informar o seu CPF, e-mail e número do seu celular com o DDD. Dessa forma, o seu item será devidamente identificado pelos Correios.

Para acompanhar o envio da sua encomenda internacional, basta acessar a plataforma Minha Importações, com o seu ID Correios. No ambiente virtual, você recebe notificações sobre o status do seu objeto, bem como avisos de tributações e serviços relacionados à sua liberação.

Também é possível completar informações necessárias à continuidade da fiscalização, pagar ou solicitar tributos e informar o seu CPF, caso não tenha sido identificado. Desde janeiro de 2020, a Receita Federal exige que todas as remessas internacionais possuam a identificação do CPF/CNPJ/Número do Passaporte do destinatário.

Na próxima matéria, vamos explicar os fluxos postais de importação e as novas funcionalidades do aplicativo Correios para encomendas internacionais. Até lá!

Exporta Fácil: 20 anos do serviço de exportação dos Correios

Comemoramos nesta sexta-feira (20), os 20 anos da criação do Exporta Fácil, serviço dos Correios que já ajudou mais de 15 mil micros e pequenas empresas brasileiras a expandirem seus mercados pelo mundo. Ao desburocratizar a remessa de produtos para o exterior, esta é a ferramenta de exportação mais utilizada no País: cerca de 60% das empresas nacionais que exportam já utilizaram o Exporta Fácil. 

Com mais de 400 mil operações realizadas, a solução também é um marco de inovação dos Correios do Brasil: fomos o primeiro correio do mundo a atuar como um operador logístico do comércio exterior. O Exporta Fácil ainda ganhou diversos prêmios e se tornou referência no setor, apontado pela União Postal Universal (UPU) como um dos instrumentos de diversificação das atividades dos correios mundiais, ajudando, assim, a expandir o comércio internacional. 

Hoje, se qualquer empreendedor pode exportar a partir de qualquer cidade brasileira, isso se deve ao empenho dos empregados dos Correios: em meados da década de 90, após estudos técnicos, os analistas da empresa identificaram que a participação das micro e pequenas empresas na pauta de exportações do Brasil era insignificante.  

Leia mais “Exporta Fácil: 20 anos do serviço de exportação dos Correios”

ENCOMENDA INTERNACIONAL
Quer comprar em sites do exterior? O que você precisa saber antes

Seja para adquirir aquele objeto de desejo ou aproveitar ofertas, as compras online no exterior caíram de vez no gosto dos brasileiros. Cada dia mais conectados, 14,1 milhões de consumidores do país compraram em sites estrangeiros no ano passado, segundo o Relatório Neotrust 3ª Edição, , elaborado pela Compre&Confie, em parceria com o E-Commerce Brasil.


Mas antes de encher o carrinho virtual, algumas dicas podem ser úteis para evitar surpresas desagradáveis. Por isso, lançamos a série “Compras online no exterior” (confira e-book) , para trazer informações importantes sobre prazos de entregas internacionais, modalidades de envio, novas funcionalidades do aplicativo Correios para encomendas vindas de fora, entre outros assuntos.


Você sabia, por exemplo, que toda compra realizada em sites estrangeiros é uma importação? Ao chegar no Brasil, todos os objetos são fiscalizados pela Receita Federal e outros órgãos anuentes, para impedir a entrada de produtos perigosos ou ilegais no país como, por exemplo, entorpecentes e substâncias tóxicas prejudiciais ao meio ambiente e às pessoas.


Além do controle tributário, algumas encomendas estão sujeitas à anuência de outros órgãos, como Anvisa, Inmetro, Vigiagro e Exército. É o caso de alimentos, bebidas, medicamentos e alguns itens aceitos sob condições. Pela plataforma Minhas Importações, dos Correios, o cliente pode verificar se será necessário fornecer informações complementares sobre a sua encomenda.

Se o produto não for liberado, o órgão fiscalizador responsável indica o fim a ser dado ao objeto: devolver ao país de origem, apreender ou destruir.

Esse tempo que a Alfândega leva para verificar as encomendas é variável e, portanto, irá interferir no prazo de entrega previsto. Os Correios só podem realizar a entrega depois que os objetos são liberados pelos órgãos fiscalizadores.

Proibições

Antes de realizar sua compra, é importante também verificar se a mercadoria em questão tem permissão para entrar no País, de acordo com as regras brasileiras de importação. Armas, animais silvestres e plantas silvestres, por exemplo, são proibidos.

Confira aqui a lista completa dos produtos não permitidos no fluxo postal de importações dos Correios.

Medicamentos


É permitido que pessoas físicas importem até US$10 mil em medicamentos por remessa internacional. Para medicamentos com receita médica destinados à pessoa física, não há cobrança de impostos.

A receita deve estar em português, conter informações referentes ao nome e domicílio do paciente, posologia, periodicidade do tratamento (limitado a 180 dias), data e assinatura do profissional responsável, seu domicílio ou endereço profissional.

Medicamentos para consumo pessoal terão a entrada no território nacional autorizada em quantidade e frequência compatíveis com duração e finalidade do uso, de acordo com instrução da Receita Federal (IN RFB Nº 1737/2017).

Lojas virtuais: dicas e cuidados

Assim como no Brasil, no exterior você pode realizar compras em grandes lojas virtuais, como a Wish, Best Buy e Amazon, ou em sites de compra e venda de produtos de particulares, como o eBay, semelhante ao Mercado Livre.

No momento de optar pelo site que irá comprar, é importante pesquisar a reputação do e-commerce e os relatos de outros consumidores. Também certifique-se de que o endereço eletrônico tenha cadeado, isso assegura que o ambiente é confiável.

No caso do eBay, verifique ainda a reputação do vendedor e se há um canal de contato direto com ele, a fim de esclarecer qualquer dúvida ou reclamação sobre o produto e o processo de compra.

Também é importante conhecer a política de trocas e devoluções da loja e se ela vale para entregas internacionais. Do contrário, você pode ter de arcar com os custos de reenvio da mercadoria que chegou com defeito ou que deseja devolver.

Na próxima matéria, vamos falar sobre as principais modalidades de envio (fretes) para compras no exterior e seus respectivos prazos de entrega. Até lá!

Correios renova frota de motocicletas em todo o país

Com uma frota de veículos que roda mais de 169 milhões de quilômetros por ano – o equivalente a mais de 4 mil voltas completas na Terra –, os Correios concluem, até o fim deste ano, a entrega de 5.345 novas motocicletas às unidades da empresa em todo o país. Só em 2020, a empresa investiu mais de R$ 140 milhões na aquisição de novos veículos, o que inclui a compra de mais 1.114 furgões de 600 kg.

Nas Superintendências Estaduais dos Correios em Brasília, Minas Gerais e Pará, a renovação da frota de motocicletas já foi 100% concluída. A SE/BSB recebeu 72 novas motos nesta segunda-feira (1) e, na SE/PA, foram entregues 211 veículos desse segmento no mês de agosto. As 201 motocicletas modelo trail adquiridas para a SE/MG também já estão em circulação.

Com 160 cilindradas, as novas motocicletas da empresa possuem melhor desempenho do que as anteriores, que eram de 125 cilindradas. As motos também são mais econômicas e seguras, pois são equipadas com sistema de freios combinados, chamado CBS.

Leia mais “Correios renova frota de motocicletas em todo o país”

APROXIME
Correios alavanca negócios durante a pandemia

Mário Salviato tem um criatório de galinhas ornamentais em Porto Ferreira, no interior de São Paulo, e comercializa ovos férteis pela internet. O avicultor conta que vende seus produtos para todo o país e, desde o início de seu negócio, conta com os Correios para realizar as entregas. “Sempre confiei nos Correios para fazer a entrega dos ovos. No Brasil, ela é, de longe, a melhor empresa para fazer esse tipo de serviço”, relata.

O produtor possui, atualmente, mais de 200 variedades de aves com alto padrão genético, mas continua investindo na produção para alcançar seu principal objetivo: oferecer ovos de todas as raças existentes.

Ovos via Sedex: “Sem os Correios, eu não teria como atender meus clientes”, destaca o empresário Mário Salviato.

Para despachar os ovos, Salviato os embala, um a um, em plástico bolha e os acondiciona em uma caixa de isopor, forrada com serragem e jornal. O produto é despachado via Sedex e as despesas ficam por conta do comprador. Os clientes são pequenos produtores, chacareiros, sitiantes e criadores de todo o país.

Leia maisAPROXIME
Correios alavanca negócios durante a pandemia”