DIA MUNDIAL DOS CORREIOS
“Inovação é o propulsor da retomada do setor postal”, afirma diretor-geral da UPU

Neste sábado (9) é celebrado o Dia Mundial dos Correios, marco da criação, em 1874, da União Postal Universal (UPU) – órgão da ONU que congrega operadores de 192 países. Entre outros temas, a UPU defende a estratégia de diversificação dos serviços postais, adotada pelos Correios no Brasil desde 2011. Pela segunda vez consecutiva, o evento em comemoração à data ocorrerá virtualmente, por conta da pandemia de covid-19.

Em sua tradicional carta em alusão à data, a UPU avaliou as recentes conquistas e desafios do setor. Com o tema “Inovar para recomeçar”, a mensagem do diretor-geral da UPU, Bishar Hussein, enaltece a adaptabilidade e capacidade de inovação dos correios de todo mundo, diante das adversidades causadas pela pandemia.

“Quando a covid-19 atingiu todos os países do mundo e, principalmente, a estrutura logística implantada, o correio, ainda assim, encontrou a forma de manter a prestação de serviços em benefício das comunidades. (….) Novos serviços postais de caráter social e econômico e metodologias criativas de distribuição do correio surgiram, e o comércio eletrônico prosperou em diversas regiões do mundo”, ressaltou em trechos da carta (leia a íntegra da mensagem aqui).

O papel social e o apoio logístico dos operadores postais na distribuição de vacinas também foram ressaltados. “Essas atividades são a prova inegável de que os correios são inseparáveis da sociedade e dos clientes que eles atendem”. Logo no início da pandemia, os Correios do Brasil atuaram na operação da Rede Vírus, comitê do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) que reúne diversas instituições renomadas, como Fiocruz, Butantan e USP, com o objetivo de desenvolver diagnóstico, tratamento, vacinas e produzir conhecimento sobre o vírus (leia mais).

Hussein finaliza a carta com uma mensagem de esperança para o futuro do setor postal. “Com muita frequência deixamos o pessimismo obscurecer nossa visão. Contudo, provou-se inúmeras vezes que os correios podem se mostrar à altura da situação e continuar a oferecer serviços com uma capacidade de adaptação surpreendente. Juntos, devemos tirar lições da pandemia de covid- 19 e compreender que a inovação é fundamental; é o propulsor da retomada e o que torna o setor crucial para bilhões de pessoas”.

Dia Mundial dos Correios

Em comemoração ao Dia Mundial dos Correios, a estatal realizou, nesta terça-feira (5) cerimônia de premiação da fase nacional do 50º Concurso Internacional de Redação de Cartas, no edifício sede da empresa, em Brasília. O tema do certame de 2021 foi: “Escreva uma carta a um familiar, contando sobre sua experiência da covid-19”. Mais de 60 países participam da competição todos os anos.

Presidente dos Correios, Floriano Peixoto, entrega troféu à vencedora nacional do Concurso Internacional de Cartas. Foto: Divulgação/ Correios.

A vencedora nacional deste ano foi a estudante Luísa Tejo Salgado Catão, de 15 anos, que cursa o 1º ano do ensino médio no Colégio Nossa Senhora de Lourdes, em Campina Grande (PB). Durante o evento nos Correios, Luísa recebeu uma menção honrosa da UPU na fase internacional do concurso, onde disputou com alunos de mais de 60 países. Além da premiação, a vencedora nacional ganhou certificado e troféu.

A jovem comentou a emoção e o reconhecimento que sua carta trouxe por meio do concurso: “A carta serviu para sintetizar tudo o que eu estava sentindo e, depois que as pessoas leram a carta, eu vi que muitas delas estavam sentindo a mesma coisa. Essa forma de identificação também me deixou bastante feliz, deu a ideia de que estamos todos unidos”, afirmou.

Em discurso, o presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, ressaltou a relevância do prêmio: “Mais de um milhão de cartas de alunos do mundo todo foram inscritas neste ano, e Luísa agora passa a ter, merecidamente, seu nome eternizado na lista dos estudantes brasileiros que ganharam medalhas ou menções honrosas na etapa internacional. Por isso, é uma satisfação poder estarmos juntos hoje para celebrar a sua conquista, que é motivo de orgulho para todos nós”.

Uso de smartphones por carteiros moderniza operação e atendimento dos Correios

A ampliação do uso de smartphones pelos Correios está modernizando os serviços da estatal. Atualmente, cerca de 85% dos carteiros utilizam smartphones equipados com um aplicativo que gera aos clientes informações em tempo real sobre o status da sua encomenda ou carta registrada.

Em 2021, a empresa já atualizou mais 19 mil celulares e a expectativa é de que, até o final deste ano, mais 21 mil aparelhos sejam adquiridos, totalizando 40 mil smartphones. O objetivo das aquisições é trazer mais mobilidade às soluções dos Correios, em diversos setores como vendas, atendimento, operações, logística, tratamento, distribuição e transporte.

Com a tecnologia, a empresa também pretende aperfeiçoar etapas logísticas de grandes operações, como a entrega de livros didáticos do FNDE, com a atualização on-line das informações de entregas dos livros e de serviços internacionais – como a emissão do despacho postal, que poderá ser realizado sem a necessidade de movimentação dos objetos para uma estação fixa.

Nos centros de distribuição e de logística integrada (CLIs) dos Correios, estações móveis também irão agilizar o processo de retirada, guarda de itens no porta-paletes, separação de pedidos e expedição de itens de suprimento, pois os operadores receberão, pelos celulares, as diretrizes de armazenagem, sem a necessidade de retorno à uma posição fixa.

Os novos smartphones terão ainda papel fundamental na implementação do sistema de Registro Diário de Viagens e Ocorrências (RDVO-D), onde todos os dados da carga transportada pelos Correios serão migrados em tempo real para o sistema de gestão integrado da empresa. Nos serviços do Balcão do Cidadão, os celulares permitirão substituir etapas manuais do processo de atendimento, além de agilizar o atendimento aos clientes dos Correios.

A ampliação do emprego da tecnologia nos processos operacionais dos Correios, somada às melhorias nas plataformas e soluções digitais da empresa, é mais um passo para a modernização da estatal, tornando cada vez mais intuitiva, prática e segura a experiência do cliente.

CONFERÊNCIA AICEP
Adaptação é ordem para logística do e-commerce pós-pandemia

Os números são incontestáveis: a pandemia do novo coronavírus acelerou a tendência de crescimento do comércio eletrônico em todo mundo. Em 2020, o Brasil registrou um aumento de 41% no faturamento das operações de comércio eletrônico e de 30% no volume de pedidos online. O País possui, atualmente, quase 80 milhões de consumidores digitais, segundo dados das consultorias Ebit|Nielsen.

Com objetivo de avaliar as mudanças e desafios logísticos para o e-commerce neste novo cenário, os Correios participaram, nesta terça-feira (30), do primeiro ciclo de conferências de 2021 da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP), em parceria com os CTT – Correios de Portugal. O tema do encontro foi “O grande salto do e-Commerce – Crescer o negócio” (assista aqui).

Representando os Correios, o diretor de Negócios da estatal, Alex do Nascimento, falou sobre como a empresa brasileira tem se reiventado para se adaptar aos novos hábitos de consumo e ao aumento de volume de encomendas. “As compras online internacionais, por exemplo, cresceram no último ano cerca de 52%. Para nós, essa alavancagem do e-commerce foi encarada tanto como uma oportunidade quanto como uma necessidade de oferecer novos serviços, apoiando a sociedade brasileira neste momento tão difícil”, disse.

O diretor de Negócios dos Correios representou o Brasil na conferência da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP).

Como exemplo, além das adequações às novas regras e cuidados sanitários, o diretor citou que a estatal tem intensificado a redução dos preços do frete e dos prazos das entregas de encomendas em milhares de trechos pelo País (leia mais). Além disso, os Correios apostaram na inserção de novas tecnologias e no maior grau de digitalização dos seus serviços, a partir de um olhar centrado na experiência do cliente.

Uma das novas soluções dos Correios, citadas pelo diretor, foram os armários inteligentes, lançados em outubro de 2020 no Rio de Janeiro e no Distrito Federal (leia mais). “Além de reduzir custos logísticos, com os Lockers o cliente tem muito mais comodidade: ele decide onde e quando quer receber o seu objeto. Em breve, o Estado de São Paulo também receberá os armários inteligentes dos Correios”, salientou.

O diretor de Negócios dos Correios também falou sobre a diversificação dos produtos aceitos pela empresa, como itens menores e mais sensíveis. “O momento atual exige dos operadores logísticos entregas mais rápidas e preços reduzidos. Já iniciamos um teste-piloto para entrega dentro de 2 a 4 horas na cidade de São Paulo. Isso demanda uma redistribuição do processo logístico e a criação de novos armazéns”, ressaltou.

Seguindo essa tendência de adaptação , que de acordo com Alex é a palavra de ordem para a rede logística pós-pandemia, os Correios agregam um conjunto de outros serviços que vão além da logística. Um exemplo é o programa Aproxime, iniciativa criada para fortalecer o comércio eletrônico, auxiliando pequenas e médias empresas a alavancarem negócios no digital. “Não fazemos só entregas, somos um prestador de serviços relevantes para crescimento do comércio eletrônico”, frisou o dirigente.

Também participaram da conferência virtual, o presidente executivo dos CTT Correios de Portugal, João Bento; o diretor de E-commerce dos CTT Correios de Portugal Alberto Pimenta; o diretor de Negócios dos Correios do Brasil, Alex do Nascimento; o fundador e CEO da Tupuca, Erickson Mvezi; e o diretor de E-commerce da SonaeMC, Pedro Santos.

Com uso de QR Code, Correios moderniza carta

Código de barras estampado sob envelopes traz mais segurança e agilidade nas entregas de correspondências. Foto: Divulgação/Correios

A carta está diferente! Uma nova tecnologia desenvolvida pelos Correios traz mais segurança e agilidade à comunicação realizada por correspondências, como boletos e faturas. Já disponível para clientes de contrato, a chamada Estampa 2D – um tipo de código QR Code estampado sob os envelopes -, agrega mais controle, rastreabilidade e qualidade operacional às entregas de cartas simples.

Ao reunir informações adicionais, como número de contrato e lote de produção, o novo código de barras também aprimora o processo de gestão e tratamento da carga postal, otimizando, inclusive, o tempo de triagem das cartas. Isso porque, após a postagem nas agências, a maior parte dos envelopes (com características adequadas de peso e tamanho) serão separados de forma automatizada por máquinas de triagem. Para os demais, um novo aplicativo irá agilizar também a conferência manual da carga.

A Estampa 2D ainda permite aos Correios verificar o status de postagem e faturamento de cada carta, em qualquer tempo e etapa do fluxo postal. Com isso, a empresa consegue identificar cartas em situação irregular, como, por exemplo, com selos adulterados ou inconformidades de informação. Outra vantagem do uso da codificação 2D será a integração entre diferentes soluções da estatal, agregando serviços digitais aos físicos, sem custo adicional para os clientes.

Por meio do QR Code, Correios consegue verificar o status de postagem e faturamento de cada carta, em qualquer tempo e etapa do fluxo postal. Foto: Divulgação/Correios

A tecnologia também agiliza o atendimento nas agências. Por meio de uma plataforma de pré-postagem (acesse aqui), os clientes de contrato poderão imprimir a Estampa 2D de cada objeto antecipadamente. Ao se autenticar no sistema com o ID Correios, o usuário poderá gerar o lote de pré-postagem e obter o rótulo de endereçamento padronizado com o código de barras. Após fixá-lo no envelope, basta ir a uma agência dos Correios, apresentar o cartão de postagem e o número do lote da pré-postagem, e concluir o atendimento.

O uso da Estampa 2D para postagens à vista nas agências estará disponível, a todos os clientes, a partir de março deste ano. A empresa também pretende incluir a tecnologia em outros serviços de comunicação física, como Impresso e Mala Direta, a partir do segundo trimestre de 2021.