Papai Noel dos Correios: uma história de amor e generosidade além da vida

Todo ano, no final de novembro, o telefone da coordenação de comunicação dos Correios em Sergipe tocava e era ela: pedia que a equipe da campanha Papai Noel dos Correios separasse algumas dezenas de cartinhas com pedidos de material escolar – cerca de 100, metade de meninos e metade de meninas. Parceira da ação há mais de 10 anos, Dona Carminha não falhava. De coração generoso, a professora aposentada assumiu a adoção das cartinhas como um compromisso, cumprido religiosamente. Ela não queria que nenhuma criança deixasse de estudar por falta de material.

Mas neste ano de 2020, Maria do Carmo Lima Machado Mendonça não ligou. A equipe do Papai Noel dos Correios estranhou a ausência, e tentou entrar em contato, sem sucesso. “Na reta final da campanha, soubemos, por sua filha, que ela estava isolada no sítio da família, com a saúde fragilizada e buscando se proteger dos riscos relacionados a essa pandemia”, conta a coordenadora de comunicação, Gabriela Melo. Mas no dia 8 de dezembro ela faleceu, aos 73 anos, vítima de infarto, deixando saudade entre aqueles que a conheciam.

Se dependesse da professora Maria do Carmo, nenhuma criança deixaria de estudar por falta de material escolar. Foto: Arquivo pessoal

Deixou, também, um grande exemplo de compaixão e fraternidade. Seus cinco filhos – que preferem não ter seus nomes revelados, por acreditarem que boas ações devem ser feitas sem alarde ou expectativas de reconhecimento – decidiram continuar adotando as cartinhas com pedidos de material escolar feitos ao Papai Noel dos Correios. Apesar de a campanha estar nos últimos dias, deu tempo de acertar tudo. Graças a mobilização da família, 94 crianças de escolas públicas da capital e no interior de Sergipe vão receber um kit com mochila, lápis de cor, caderno, estojo, lápis, caneta e borracha, entre outros itens.

De acordo com uma das filhas de Maria do Carmo, a família se reuniu logo após o falecimento e todos concordaram em abraçar o seu legado. “Juntos, queremos dar continuidade a esse gesto que ela fazia com tanto gosto”, disse a filha de Dona Carminha ao entrar em contato com a coordenação local do Papai Noel dos Correios. Tanto a notícia da partida de uma das parceiras mais antigas e fiéis da campanha, quanto a iniciativa da família, inspirada na generosidade de sua matriarca, emocionou a equipe dos Correios.

Seguindo o exemplo da mãe, os filhos de Maria do Carmo presentearam dezenas de crianças com kits escolares neste ano. Foto: Arquivo pessoal

Uma das crianças contempladas foi Lana Raquel, de 10 anos, moradora do bairro Santa Maria, em Aracaju. Em sua carta ao Papai Noel dos Correios, ela conta que gosta muito de brincar e estudar. “A luta por alimento é diária, e assim meus pais não têm condições de me dar um presente de Natal”, escreveu a menina, fazendo questão de explicar que não caprichou mais em sua cartinha por não ter lápis de cor.

Legado de educação e amor

Baixinha, de olhos azuis, alegre e muito forte, Maria do Carmo estudou e ensinou com empenho ao longo de toda a sua vida. Foi professora de Geografia do ensino fundamental e também da Universidade Federal de Sergipe (UFS), além de diretora de escola. Daí vinha sua consciência acerca da importância da educação.

“Ela era símbolo de liberdade, autonomia, coragem e, principalmente, alegria e amor. Tudo que sabemos sobre o amor veio dela, um amor que cura, que afaga a alma, que cuida e protege sem cansar. Gostava de ajudar o próximo, de cuidar de plantas, orquídeas, de cozinhar, bordar, ler e de uma boa rede. Mas amava mesmo era de ver a família junta, unida e cheia de amor”, conta uma das filhas de Dona Carminha, cheia de orgulho e saudade da mãe.

Correios e Hospital de Amor: parceria pela vida

Há 17 anos, os Correios exercem o seu papel de integrador nacional em prol de uma nobre causa: ampliar a captação de recursos para o Hospital de Amor (HA), antigo Hospital de Câncer de Barretos, referência nacional em oncologia. Por meio das agências da estatal em todo o país, já foram arrecadados mais de R$ 20 milhões, em cerca de duas milhões de doações únicas.

Atualmente, por meio da promoção “Corrente de amor”, a cada doação a partir de R$ 10, o cliente recebe um número da sorte por SMS, com as instruções para baixar o aplicativo Apcap do Bem e concorrer a prêmios, entre eles o novo Corolla. A ação, que teve início em 19/6, foi criada para facilitar e aumentar a capilaridade das doações ao HA, já que a pandemia do novo coronavírus inviabilizou a realização de eventos beneficentes e leilões.

As arrecadações são vitais para a manutenção dos tratamentos oncológicos do hospital, que não podem ser interrompidos. “Convidamos a todos a participarem desse novo projeto, para que o Hospital de Amor sobreviva e tenha forças. Que vocês possam enxergar esse projeto como um remédio para uma pessoa com câncer. Por isso, o Hospital de Amor agradece aos Correios, em nome de cada paciente”, destaca o presidente do HA, Henrique Prata.

O Hospital de Amor realiza mais de 6 mil atendimentos por dia, 100% gratuitos, acolhendo pacientes de todo o Brasil. Com 58 anos de história, o hospital possui diversas unidades fixas de tratamento e prevenção espalhadas pelo país, em cidades como Barretos (SP), Jales (SP) e Porto Velho (RO). Em 2019, a entidade ofereceu mais de 1 milhão de atendimentos a 225 mil pacientes vindos de 2,2 mil municípios de todos os estados brasileiros.

Prêmios
A primeira vencedora da promoção “Corrente de amor” foi a Danila dos Santos, que realizou sua doação na agência dos Correios em Jaú, interior de São Paulo, em 13 de agosto de 2020. Ela ganhou 1 Corolla 0Km. No dia 13 de outubro, serão sorteados dois veículos Ônix 0KM, de uma só vez.

Quer ser o próximo ganhador? Vá até uma agência dos Correios, faça sua doação e participe!

Novas entregas de solidariedade

Neste momento de enfrentamento à COVID-19, a responsabilidade social é ainda mais essencial. Por essa razão, desde o início da pandemia no Brasil, mobilizamos nossa infraestrutura logística em uma grande rede de cooperação, para ajudar a salvar vidas e proteger, principalmente, os mais vulneráveis.

Nossas ações abrangem desde o transporte de material viral até a entrega de medicamentos em áreas remotas, envolvendo empregados, comunidade científica, entidades públicas e privadas em diferentes frentes. Em recente parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), também doamos camisas de carteiros e malotes postais inservíveis aos Correios, que estão se transformados em máscaras faciais, toucas, mochilas e sacos de dormir para uso de pessoas em situação de rua.

Por meio do Programa Pátria Voluntária, do Governo Federal, e do projeto Ecopostal, realizado pela estatal, os materiais estão sendo entregues, desde maio, a entidades sem fins lucrativos. Só em Brasília, mais de 5 toneladas de tecidos, entre camisas, bolsas e malotes, já foram doados.

Leia mais “Novas entregas de solidariedade”