Com segurança, seguimos juntos contra a COVID-19

Entre os valores dos Correios estão a “responsabilidade” e o “compromisso com a sociedade”, que hoje mais do que nunca precisa de nós. Os serviços postais são ainda mais essenciais em momentos de crise como este. Únicos operadores logísticos presentes em todos os municípios brasileiros, somos os maiores parceiros do e-commerce – segmento crucial para atender a população que está em isolamento pelo surto da COVID-19. 

Também estamos atuando como apoio logístico da Rede Vírus, comitê do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) responsável pela coleta de material viral (novo coronavirus e influenza). Os insumos serão utilizados em estudos sobre o contágio, proliferação dos vírus e vacina para as doenças.

Temos experiência no enfrentamento de situações desafiadoras. Para que as encomendas e correspondências continuem chegando na sua casa, adaptamos as nossas operações para manter clientes e empregados seguros em meio a pandemia. Todos os objetos passaram a ser entregues sem a coleta de assinatura do destinatário para evitar o contato físico e o risco de contaminação.

Nas agências, adotamos procedimentos de limpeza e cuidados extras de higiene, distanciamento entre cliente e atendentes, desativação de totens de senhas, não compartilhamento de objetos, dentre outras medidas preventivas. Também adotamos o trabalho remoto para pessoas enquadradas nos condições de vulnerabilidade previstas pelo Ministério da Saúde.

Todas as medidas adotadas pelos Correios estão alinhadas às recomendações do Governo Federal e do setor postal mundial. Diariamente, avaliamos a necessidade de novas ações, com o suporte de um comitê especial criado para monitorar a evolução da pandemia. As equipes de saúde dos Correios desenvolveram um protocolo de ações preventivas e acompanham o quadro clínico dos empregados em todos os casos.

Na nossa central de informações sobre a pandemia, no site dos Correios, estão disponíveis todas as notícias e os boletins diários das nossas operações. Vale lembrar que continuamos presentes nos nossos canais de atendimento online (chat), nas redes sociais e no 3003-0100 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 725 7282 (demais localidades).

51 anos de criação da ECT

Hoje, 20 de março, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) chega aos 51 anos de existência e prestação de serviços que aproximam pessoas, instituições e negócios por todo o Brasil. São mais de 5500 municípios atendidos – isso quer dizer que, seja qual for o lugar do país, os Correios estão presentes com soluções que vão desde o envio e o recebimento de cartas e encomendas à logística integrada. Isso sem falar no Balcão do Cidadão, iniciativa que permite à empresa cumprir seu papel social e garantir o acesso à cidadania, por meio da disponibilização de diversos serviços do governo em um único lugar.

Há uma história contada pelas estradas do nosso país, por meio de cada campainha tocada, barco atracado, passo apressado, sorriso entregue e recebido pelos mensageiros que percorrem as cidades deste imenso Brasil. Há, também, um futuro de reinvenção, trabalho e evolução para continuar a servir com qualidade o povo brasileiro.

Para o presidente dos Correios, Floriano Peixoto, temos hoje, diante de nós, o novo cenário da 4ª Revolução Industrial. E, com ele, um universo de oportunidades. “Os Correios devem acompanhar as evoluções tecnológicas e sociais, para continuar a conectar pessoas, instituições e negócios em todo o mundo. Nosso dever permanece o mesmo: entregar soluções que aproximam. E, para cumpri-lo, devemos perpetuar nossa tradição de compromisso com o resultado e orientação ao futuro, permanecendo à altura do desafio de oferecer aos nossos clientes aquilo que eles precisam para atingirem os seus objetivos”, ressalta.

Nasce uma empresa –  Por meio do Decreto-Lei nº 509/1969, os Correios deixam de ser um departamento para se tornar uma empresa, com o desafio de desenvolver uma política pública de democratização da comunicação. Ao longo de sua história, a estatal sempre buscou aprender e acompanhar as revoluções do mundo moderno. Criou produtos, lançou serviços, atuou em parceria com entidades públicas e privadas, sempre apostando na melhoria do atendimento ao cidadão. Hoje, a empresa é a única presente em todo o país. Sua capilaridade, presença nacional e principalmente, seus empregados, fazem dos Correios uma marca forte e digna do respeito de todos os brasileiros.

DIA DO FILATELISTA
Tem selo pra tudo

Para Pedro do Valle Garcia, os selos “são um tesouro”. Foto: Divulgação/Correios

Sandra Santos

Hoje, 5 de março, é comemorado o Dia do Filatelista no Brasil, data que homenageia os colecionadores de selos. Muita mais que um hobby, a Filatelia é uma atividade cultural que desperta paixões em todo o mundo. Pense rápido em algo: pode ser uma profissão, uma descoberta científica, esporte, animal, planta ou até uma causa a ser defendida. Pensou? Muito provavelmente você encontrará um selo postal, emitido em algum país do mundo em qualquer época, sobre o assunto.

“Todos os temas e todas as ciências estão imortalizadas em peças filatélicas”, afirma o filatelista Carlos Fernando Knauer, de Curitiba. Filho de filatelista, Carlos cresceu em meio aos selos, mas confessa que não se interessava pelo assunto. Por curiosidade, um dia, quis saber se, por ventura, não existia selo sobre Matemática. “Eu perguntei pro meu pai. Então, procuramos, encontramos e, como sou formado na área, resolvi começar uma coleção contando a história da Matemática por meio da Filatelia.”

A coleção de selos de Carlos Fernando conta a história da Matemática. Foto: Divulgação/Correios

Veterano na Filatelia, entre os vários temas colecionados por Arthur Oscar Passos, também de Curitiba, está um bastante inusitado: Mãos. Nesse caso, Arthur explica que não existem emissões específicas sobre Mãos. Por isso, a arte aqui é colecionar selos, não importa o tema, em que aparece a mão. Simples assim. “As mais diferentes situações: o maestro regendo a orquestra, o professor ensinando, a mão dando a vacina, a mão em concha apoiando as mais diferentes situações. Tem que aparecer a mão”, explica ele, dizendo que a inspiração veio há muitos anos, ao ver uma outra coleção sobre o tema.  

Leia maisDIA DO FILATELISTA
Tem selo pra tudo”

Correios renova frota com mais de 7 mil veículos

Kárita Sena

Com uma frota que roda mais de 169 milhões de quilômetros por ano – o que representa 4.225 voltas completas na Terra –, os Correios iniciam 2020 com mais de 7 mil veículos novos entregues em todo o Brasil. No total, foram investidos cerca de R$ 197 milhões na aquisição de 5.328 motocicletas, 2.157 furgões de 600Kg e 73 furgões (com capacidade de 1.500 Kg), entre dezembro de 2018 e dezembro de 2019.

A aquisição dos novos veículos foi intensificada nos últimos meses de 2019 para atender ao aumento da demanda gerado pela Black Friday e pelas festas de fim de ano. Além de melhorar as condições de trabalho dos carteiros, o investimento representa ganho de produtividade, qualidade das entregas, redução do custo de manutenção e aumento da disponibilidade da frota.

“Renovar a frota, além de mais segurança ao condutor, significa reduzir custos com manutenção e combustível e aumentar a disponibilidade do veículo, garantindo a qualidade operacional dos Correios”, destaca o diretor de Operações dos Correios, Carlos Henrique de Luca.

Em 2020, a previsão é investir mais R$ 140 milhões na compra de mais 1.068 furgões de 600 kg e renovar 100% da frota de motocicletas, com a aquisição de 5.345 novos veículos desse segmento.

Operação logística leva livros didáticos a todo o país

Todo ano, os alunos de escolas públicas no Brasil recebem livros didáticos novos. Isso é possível porque, há 25 anos, os Correios realizam com eficiência, em todo o país, a megaoperação do Programa Nacional do Livro Didático do FNDE. Para se ter ideia do tamanho da operação, em 2020 a empresa vai entregar mais de 170 milhões de objetos, número 13% maior que no último ciclo. Para isso, são mobilizados milhares de empregados em processos modernos, sempre com o compromisso de levar os livros a cada estudante do Brasil.

Veja mais no vídeo sobre a megaoperação:

Entrega de autoteste de HIV pelos Correios viabiliza diagnóstico

Ellen Taborda

Envio dos kits de autotestagem pelos Correios garante privacidade. Foto: Divulgação/Correios

O Ministério da Saúde estima que 135 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e não sabem. Para viabilizar o diagnóstico, em 2019 o Sistema Único de Saúde (SUS) passou a oferecer kits de autoteste de HIV. Graças aos Correios, em alguns locais já é possível fazer a autotestagem na privacidade de casa, de forma gratuita.

O projeto “A hora é agora”, parceria entre Prefeitura de Curitiba, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Centers for Disease Control and Prevention (agência de saúde americana), desenvolveu uma plataforma virtual (www.ahoraeagora.org) onde é possível solicitar o envio do autoteste por meio dos Correios na capital do Paraná. Dois tipos de kits de autotestagem estão disponíveis: o que utiliza fluido oral e o que retira uma pequena amostra de sangue do dedo por punção digital.

Segundo a coordenadora do Programa Municipal de DST e Aids de Curitiba, Liza Bueno Rosso, o envio dos kits pelos Correios possibilita atingir um público maior. “As pessoas ficam mais à vontade recebendo e fazendo o teste em casa, com privacidade”, disse. O autoteste é recebido por correspondência, em embalagem sigilosa.

Leia mais “Entrega de autoteste de HIV pelos Correios viabiliza diagnóstico”

SOLIDARIEDADE EXPRESSA
Correios leva ajuda humanitária em casos de calamidade ou emergência

Correios realiza transporte gratuito de donativos em casos de estado de emergência ou de calamidade. (Foto: Divulgação/Correios)

Sandra Santos

Desde janeiro, fortes chuvas castigam Minas Gerais. Temporais caíram sobre várias regiões por horas e transformaram o cenário de muitas cidades. Ao virar o mês, 196 municípios mineiros estavam em situação de emergência e outros cinco em estado de calamidade pública. Em Belo Horizonte e região metropolitana, por exemplo, foi registrado o maior volume de chuvas para o mês de janeiro dos últimos 110 anos, desde que começou a medição.

Para que a ajuda humanitária chegue rápido aos milhares de desabrigados e desalojados espalhados por Minas, a atuação dos Correios é essencial. “Nenhuma outra transportadora, mesmo que o estado tivesse condições de pagar, teria prestado um serviço como este que os Correios prestam. Sem o apoio da empresa, essa distribuição de donativos ficaria muito prejudicada. São locais de acesso difícil. Os Correios acabaram fazendo com que os donativos, alimentos remédios, coisas urgentes, chegassem até às mãos das pessoas que precisam de forma rápida”, reconhece o governador de Minas Gerais, Romeu Zema. 

A ação institucional “Solidariedade Expressa” é uma iniciativa realizada pela empresa sempre que ocorrem situações que envolvem estado de emergência ou de calamidade. A qualquer momento, seja dia, noite, feriado ou fim de semana, os Correios estão a postos para fazer o transporte gratuito de donativos.

Leia maisSOLIDARIEDADE EXPRESSA
Correios leva ajuda humanitária em casos de calamidade ou emergência”

ESPECIAL DIA DO CARTEIRO
357 anos aproximando o Brasil

Marta Ribeiro
Ellen Taborda

Neste 25 de janeiro, os Correios celebram os 357 anos da institucionalização dos serviços postais regulares no país e a criação do cargo de Correio-Mor das Cartas do Mar. O marco escolhido também homenageia os profissionais que, até hoje, percorrem avenidas, ruas e vielas para entregar aos brasileiros cerca de 20 milhões de objetos, todos os dias.

A entrega domiciliar de correspondências teve início em 1835, mas só no Decreto 255, de 29 de novembro de 1842, que a palavra carteiro foi usada oficialmente pela primeira vez. O documento também previa a perda da comodidade de receber as correspondências em casa, para aqueles que maltratassem o profissional.

É fácil constatar que, ao longo do tempo, os carteiros ganharam não apenas o respeito, mas a confiança e o carinho do povo. Não é à toa. Carregando incontáveis histórias em suas bolsas, durantes suas andanças eles acompanharam o desenvolvimento das cidades, o crescimento dos bairros, famílias se transformarem, negócios surgirem… A vida se desenrolar, em meio a tantos passos da jornada.  

Atualmente, mais de 55 mil carteiros percorrem, por dia, cerca de 435 mil quilômetros, seja a pé, de carro, moto ou bicicleta. Para se ter uma ideia, isso corresponde a percorrer 98 vezes os pontos extremos do Norte ao Sul do Brasil, do Monte Caburaí, em Roraima, ao Arroio Chuí, no Rio Grande do Sul, ou 100 vezes os extremos de Leste a Oeste , entre o Ponta do Seixas, na Paraíba, e a Serra Contama­na, no Acre.

Uma rotina desafiadora, cumprida com orgulho e dedicação. Faça chuva ou sol escaldante, seja com latidos ou lambidas carinhosas dos cachorros, lá estão eles, vestidos de azul e amarelo, movidos pela missão de aproximar pessoas, negócios, governos, entregando sempre as melhores soluções.

Carteiro em verso e prosa

Profissional foi retratado na TV, pintura e cinema

Querido e admirado em todo o mundo, o carteiro tem sido fonte de inspiração para muitos artistas. Ao longo dos anos, estes profissionais foram retratados na música, no cinema, na pintura e na literatura.

A chegada de uma correspondência muito aguardada também inspirou a dupla sertaneja Tião Carreiro e Pardinho a escrever a canção “Carteiro”, em 1961: “eu estava no portão quando o carteiro passou. Tirou da correspondência uma carta e me entregou”.

Isaurinha Garcia

“Quando o carteiro chegou e o meu nome gritou com uma carta na mão.” A música “Mensagem”, composta nos anos 1940 e sucesso na voz de Isaurinha Garcia, é apenas uma das que trazem o profissional em seus versos.

Uma das mais conhecidas composições que retratam o profissional é “Please Mr. Postman” (Por favor senhor carteiro), imortalizada em gravações dos Beatles (1963) e dos Carpenters (1974). Nos versos, um pedido: “por favor, senhor carteiro. Olhe e veja se há uma carta em sua bolsa para mim”.

Beatles e Carpenters imortalizaram o carteiro com o sucesso “Please Mr. Postman”

O filme italiano “Il Postino” (O carteiro e o poeta), de 1994 retrata a amizade entre o poeta chileno Pablo Neruda e um carteiro. Mario, que quer aprender a fazer poesia, fica encarregado de levar a correspondência a Neruda, em exílio na Itália.

Filme mostra amizade entre Pablo Neruda e carteiro italiano
Carteiro Cheval em frente a seu palácio

O cinema também conta, na película “L’Incroyable histoire du facteur Cheval” (A incrível história do carteiro Cheval), de 2018, como Joseph Ferdinand Cheval constrói um palácio em homenagem à filha Alice. Na história verídica, que se passa no final do século 19, o carteiro francês começa a recolher pedras durante sua caminhada no trabalho e passa as noites construindo o edifício, que fica pronto em 33 anos. O lugar tornou-se famoso ao despertar a atenção de escritores como André Breton e Anaïs Nin e de pintores como Pablo Picasso. O “Palais Idéal” é hoje patrimônio cultural da França.

Jaiminho e Chaves

Nas telinhas, o carteiro Jaiminho, do seriado Chaves, também ganhou a simpatia do público no mundo inteiro e foi até homenageado com uma estátua na cidade mexicana de Tangamandapio.

A figura carismática do profissional também foi a personagem principal de uma série de animação da televisão britânica, “Postman Pat” (Carteiro Paulo), de 1981 a 2004. Voltado ao público infantil, o programa mostra as aventuras do carteiro Pat Clifton que entrega correspondências junto com o gato Jess no vilarejo fictício de Greendale. A história também chegou às telonas, transformada em filme em 2014.

Carteiro Paulo entrega cartas com gato
Leia maisESPECIAL DIA DO CARTEIRO
357 anos aproximando o Brasil”

ESPECIAL DIA DO CARTEIRO
As muitas entregas de um carteiro

Andressa Resende
Felicia Borges

Foram as andanças pela cidade de Franca, interior de São Paulo, mais especificamente pelo bairro Jardim Paulista, que despertaram no carteiro Luís Fernando de Sousa um olhar diferente em relação à comunidade na qual trabalha. Há 22 anos no ofício, a pé ou de bicicleta, ele pôde observar a carência de diversas famílias, que não tinham o mínimo básico, como alimentos. A partir daí, Luís deu início a um trabalho social que se transformou em uma de suas paixões.

A formação em Educação Física, somada ao trabalho como carteiro – que o fez conhecer de perto a realidade das pessoas –, deu início ao projeto social “Meninos do Bem”. A iniciativa oferece aulas gratuitas de futebol a crianças e distribui cestas básicas arrecadadas voluntariamente. “As aulas são ministradas por mim. Também faço um acompanhamento dos boletins escolares e ensino os princípios básicos do futebol, exercícios físicos, além de incentivá-los a ter disciplina, dentro e fora do campo”, explica Luís Fernando.

Carteiro Luís Fernando e as crianças do projeto social “Meninos do Bem”, criado por ele. Foto: Arquivo pessoal

Mas o carteiro vai ainda mais longe nessa entrega, sendo responsável por recolher, entre os colegas de trabalho do CDD Franca, alimentos que irão compor as cestas básicas distribuídas para as famílias carentes do projeto, ou para aquelas indicadas pelos demais carteiros. “Entregar essas cestas para mães e pais de família, vê-los com os olhos cheios de lágrimas de emoção, é algo que me deixa com o coração partido por estarem passando necessidade. Mas, ao mesmo tempo, tenho a sensação de dever cumprido”, afirma.

Acompanhar o progresso dos meninos que saíram do projeto e, agora, estão no mercado de trabalho é outra satisfação do carteiro. “Fico muito feliz e realizado. Enquanto Deus me der saúde, farei esse trabalho com amor”, destaca.

Se essa rua fosse minha

Carteiro Alexsander dos Santos contribuiu para a aprovação de um projeto de lei que nomeou ruas do município Vila Valério (ES). Foto: Divulgação/Correios

Já no Espírito Santo, o carteiro Alexsander dos Santos é mais um dos profissionais dos Correios que fazem a diferença pelas ruas por onde passam. Na empresa há 16 anos, desde 2005 ele atua em Vila Valério, a 240 km da capital Vitória. Com cerca de 14 mil habitantes, o município, fundado em 1994, foi sendo numerado aos poucos, mas ainda eram raras as placas de identificação das ruas.

No dia a dia de trabalho como carteiro, Alex, como é chamado, foi conhecendo as pessoas, as autoridades e ganhando a confiança do poder público. Assim, há cerca de quatro anos ele recebeu um convite da Câmara Municipal: ajudar no projeto para demarcação das ruas de Vila Valério.

Leia maisESPECIAL DIA DO CARTEIRO
As muitas entregas de um carteiro”

ESPECIAL DIA DO CARTEIRO
Quando aproximar sonhos da realidade faz parte da entrega

Welisson Vasco
Marta Ribeiro

Conhecido como “mochileiro pela Educação”, o carteiro Tiago da Silva distribui voluntariamente livros para alunos do interior de Alagoas. Foto: Arquivo pessoal

“A educação salvou minha vida”. A frase forte e cheia de sentimentos é o grande lema de vida do carteiro Tiago da Silva, 30. Natural da cidade de Junqueiro, em Alagoas, o carteiro da AC São Miguel dos Campos vivencia uma jornada voluntária para celebrar, estimular e defender a leitura, o empreendedorismo e a inspiração. Para tanto, ele desembarca em escolas, ONGs, aldeias, igreja e grêmios estudantis. Nesses locais, realiza a distribuição de livros, incentiva o desenvolvimento de projetos de extensão e promove palestras e oficinas. Em cinco anos, o “Mochileiro pela Educação” já visitou 62 cidades brasileiras, distribuiu mais de três mil livros paradidáticos e realizou mais de 200 ações, entre palestras e oficinas.

Nos Correios desde novembro de 2013, Tiago sempre está com a agenda cheia. Para conciliar as duas atividades, retira dos ombros a bolsa de carteiro utilizada durante a distribuição domiciliária e coloca nas costas a mochila repleta de livros e sonhos. Suas ações ocorrem ao término do expediente, nos fins de semanas e também nos feriados.

Nas horas vagas, o carteiro também incentiva o desenvolvimento de projetos de extensão e promove palestras e oficinas. Foto: Arquivo pessoal
Leia maisESPECIAL DIA DO CARTEIRO
Quando aproximar sonhos da realidade faz parte da entrega”