Com uso de QR Code, Correios moderniza carta

Código de barras estampado sob envelopes traz mais segurança e agilidade nas entregas de correspondências. Foto: Divulgação/Correios

A carta está diferente! Uma nova tecnologia desenvolvida pelos Correios traz mais segurança e agilidade à comunicação realizada por correspondências, como boletos e faturas. Já disponível para clientes de contrato, a chamada Estampa 2D – um código QR Code estampado sob os envelopes -, agrega mais controle, rastreabilidade e qualidade operacional às entregas de cartas simples.

Ao reunir informações adicionais, como número de contrato e lote de produção, o novo código de barras também aprimora o processo de gestão e tratamento da carga postal, otimizando, inclusive, o tempo de triagem das cartas. Isso porque, após a postagem nas agências, a maior parte dos envelopes (com características adequadas de peso e tamanho) serão separados de forma automatizada por máquinas de triagem. Para os demais, um novo aplicativo irá agilizar também a conferência manual da carga.

O QR Code ainda permite aos Correios verificar o status de postagem e faturamento de cada carta, em qualquer tempo e etapa do fluxo postal. Com isso, a empresa consegue identificar cartas em situação irregular, como, por exemplo, com selos adulterados ou inconformidades de informação. Outra vantagem do uso da codificação 2D será a integração entre diferentes soluções da estatal, agregando serviços digitais aos físicos, sem custo adicional para os clientes.

Por meio do QR Code, Correios consegue verificar o status de postagem e faturamento de cada carta, em qualquer tempo e etapa do fluxo postal. Foto: Divulgação/Correios

A tecnologia também agiliza o atendimento nas agências. Por meio de uma plataforma de pré-postagem (acesse aqui), os clientes de contrato poderão imprimir a Estampa 2D de cada objeto antecipadamente. Ao se autenticar no sistema com o ID Correios, o usuário poderá gerar o lote de pré-postagem e obter o rótulo de endereçamento padronizado com o código de barras. Após fixá-lo no envelope, basta ir a uma agência dos Correios, apresentar o cartão de postagem e o número do lote da pré-postagem, e concluir o atendimento.

O uso da Estampa 2D para postagens à vista nas agências estará disponível, a todos os clientes, a partir de março desse ano. A empresa também pretende incluir a tecnologia em outros serviços de comunicação física, como Impresso e Mala Direta, a partir do segundo trimestre de 2021.

Correios revitaliza e realoca agências pelo País

Ano novo, agência nova! Com mais de 6 mil unidades próprias espalhadas pelo País, os Correios iniciam 2021 com agências revitalizadas e em novos endereços em vários Estados. Nos últimos meses, a empresa investiu na reforma de fachadas e em melhorias de infraestrutura de dezenas de unidades da estatal, especialmente em pequenos municípios.

Buscar a excelência operacional nas entregas e prestar um melhor serviço aos clientes são algumas das prioridades da atual diretoria da empresa. Neste sentido, por meio de contratos de manutenção predial e recursos próprios, o trabalho de revitalização tem sido realizado tanto nos ambientes internos quanto nas fachadas das unidades, garantindo melhores instalações para atendimento e a padronização da identidade visual da empresa.

É o caso da agência central dos Correios em Serra (ES), que ganhou, em setembro de 2020, novo endereço e melhores instalações (foto acima). Em um ambiente mais amplo e moderno, a unidade agora funciona em um imóvel mais seguro e movimentado, no eixo comercial do bairro. A mudança também trouxe melhores condições de trabalho aos empregados da empresa e mais conforto aos clientes.

Ao todo, 12 agências foram revitalizadas, sendo 8 reformadas e 4 realocadas no Espírito Santo. Outro exemplo, é a agência de Mantenópolis, município com cerca de 13 mil habitantes.

Na Bahia, 17 unidades da empresa receberam melhorias, 12 foram reformadas e 5 realocadas, tanto na capital quanto no interior do Estado. É o caso da agência de Santo Estêvão, a cerca de 150 km de Salvador, que foi reformada para atender os 52 mil habitantes do município em seus dois guichês.

Em um dos menores municípios do Maranhão, com 7,9 mil habitantes, a agência da pequena Central do Maranhão, a cerca de 70km da capital São Luís, também foi totalmente revitalizada. A unidade recebeu reparos e serviços de recuperação da fachada, que deram nova vida à unidade.

Em 2021, a empresa prevê a continuidade das ações de revitalização das suas unidades, de forma gradual, ao longo do ano.

Edifício-sede

Cartão-postal da empresa, o edificio-sede dos Correios, em Brasília, também recebeu melhorias. Em 2019, a centenária caixa de coleta instalada na frente do prédio foi totalmente restaurada. Após passar por um trabalho de pintura e revitalização, o objeto-símbolo dos Correios, que estava com sinais de desgaste, foi totalmente restaurado.

O painel 1.481,78 m² que envolve a fachada do edifício, considerado uma obra-de-arte a céu aberto, também foi revitalizado, após passar por uma minuciosa limpeza. Com concepções abstratas feitas de concreto em baixo relevo, a obra foi idealizada pela artista plástica Martha Poppe e pelo escultor espanhol Julio Spinoso. Durante a limpeza, as partes mais sensíveis do painel foram demarcadas para evitar a incidência de água e da escovação.

Retrospectiva 2020: os fatos que marcaram o ano dos Correios

Em um ano totalmente atípico, os Correios tiveram que se reinventar para superar os desafios impostos pela pandemia da Covid-19, em especial continuar mantendo as entregas no prazo com parte do seu efetivo afastado, medida necessária para garantir a saúde de seus empregados.

Em ordem cronológica, o Blog dos Correios selecionou os principais acontecimentos do ano para a empresa. Confira:

Frota renovada

Iniciamos 2020 com mais de 7 mil veículos novos entregues em todo o Brasil. No total, os Correios investiram cerca de R$ 197 milhões na aquisição de 5.328 motocicletas, 2.157 furgões de 600Kg e 73 furgões (com capacidade de 1.500 Kg). A aquisição dos novos veículos foi intensificada nos últimos meses de 2019 para atender ao aumento da demanda gerado pela Black Friday e pelas festas de fim de ano. Além de melhorar as condições de trabalho dos carteiros, o investimento representa ganho de produtividade, qualidade das entregas, redução do custo de manutenção e aumento da disponibilidade da frota.

Pandemia: medidas preventivas

Em março, com a chegada do coronavírus no Brasil, adaptamos as nossas operações para manter clientes e empregados seguros em meio a pandemia.  Entre orientações profiláticas e adaptações em rotinas de atendimento, tratamento, distribuição, coleta e transporte, foram adotadas mais de 100 medidas emergenciais, desde o início da pandemia. Todos os objetos passaram a ser entregues sem a coleta de assinatura do destinatário, por exemplo, para evitar o contato físico e o risco de contaminação. Criamos ainda uma central de informações, no site dos Correios, onde disponibilizamos notícias e os boletins diários relacionadas à pandemia

Apoio logístico a Rede Vírus

Iniciamos, também em março, o apoio logístico à Rede Vírus, comitê do então Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações, responsável pela coleta de material viral (novo coronavírus e influenza). O transporte realizado pelos Correios obedeceu a altos requisitos de segurança e agilidade, para que o material fosse entregue até 20 horas após a coleta, em perfeito estado de conservação e com risco zero de contaminação, tanto de pessoas quanto do ambiente por onde as amostras transitaram.

Leia mais “Retrospectiva 2020: os fatos que marcaram o ano dos Correios”

5 dicas de Luiza Helena Trajano para alavancar negócios

A empresária Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, participou da última live do ano da série AproxiME, produzida pelos Correios para apoiar pequenos e médios empreendedores neste momento desafiador. O Magazine Luiza é líder no segmento de varejo no País.


O Blog dos Correios selecionou trechos da sua live com dicas sobre como micro e pequenos empresas podem aperfeiçoar as suas gestões, alavancar as vendas e se destacar no competitivo mercado de e-commerce.


Aposte na multicanalidade
Durante a live, Luiza Helena lembrou que, por muito tempo, a Magazine Luiza foi vista como o “patinho feio” da Bolsa de Valores, pois, segundo ela, os investidores não acreditavam em loja física. “Quando a Amazon e o Alibaba começaram a comprar loja física, o jogo virou. Estávamos a frente desse processo porque já tínhamos feito muito laboratório. Aguentamos firmes a rejeição do mercado”, orgulha-se. 


Um das primeiras empresárias a apostar na multicanalidade, para Trajano o mundo digital não compete com o físico, mas é um aliado. “O cliente hoje compra pela internet e retira na loja física; compra na loja e reclama na internet. Você precisa estar onde, quando e como o seu cliente quiser. Todo lugar onde temos a loja física da Magazine, vendemos mais pela internet”, ressalta. 


A empresária observou ainda que o comércio eletrônico não deve mais ser visto apenas como uma plataforma. “O digital é um modo de fazer, uma cultura. A loja física vai continuar, mas o e-commerce é uma necessidade. Se você está presente apenas na internet, faça bem feito. Mas se você é só uma loja física, precisa entrar no digital”, enfatizou.


Crie experiências memoráveis
Em 1990, quando pouco se falava em atendimento ao consumidor, Luiza Trajano criou o que ela chama de um “SAC mais humanizado”. “Colocava nos tabloides de ofertas com a minha foto e o número do meu telefone particular para atender clientes que não foram bem atendidos”, conta.


De lá para cá, Luiza Helena conta que a empresa ganhou diversos prêmios do Reclame Aqui, mas que ainda não está satisfeita. “Enquanto tiver um cliente reclamando, eu não durmo a noite. Temos uma verba especial para resgatar os insatisfeitos, porque é muito mais barato trazê-los de volta do que perdê-los”, revela. Na visão da empresária, os pequenos empresários têm muito mais condição de atender cada cliente como único. “Vender e entregar no prazo é commodity, é preciso surpreender, criar experiências memoráveis para o seu cliente”, aconselha.

Leia mais “5 dicas de Luiza Helena Trajano para alavancar negócios”

Correios, feliz ano novo, feliz nova década

Agora está faltando bem pouco para 2020 chegar ao fim; o que marca, também, o fim de uma década. E, cá entre nós, como não respirar aliviado de “ufa, até que enfim está terminando”, como se a simples virada de ano, por si só, transmutasse para bom tudo o que de ruim aconteceu… Como se pudéssemos trancar dentro de um baú o que não queremos mais e, finalmente, viver o novo, sem resquício algum do que é indesejado. Mas sabemos que não é bem assim. A vida e os acontecimentos que a movimentam não se limitam a calendários. 

Entramos em um ano novo cheios de promessas e objetivos, esquecendo que, muitas vezes, o inesperado, quer seja uma notícia feliz ou angustiante, pode chegar e mudar para sempre o nosso dia a dia. E lidar com surpresas nada agradáveis foi uma das grandes lições de 2020. Quem imaginou, no fim de 2019, que, no ano que iria começar, teríamos que andar de máscara na rua, nos distanciar de amigos e familiares, nos abster de um simples aperto de mão ou que precisaríamos lavar até a caixa de sabão em pó que vem do supermercado?!

O ano de 2020 nos ensinou a viver o “novo normal”, mostrando que aquelas coisas do dia a dia que são alvo de tantas das nossas queixas – como acordar cedo para trabalhar, levar e buscar filho na escola, enfrentar fila apinhada em supermercado ou aglomeração em transporte público -, significam de forma sutil que tudo está bem, que podemos seguir a normalidade dos nossos dias.   

Em março de 2020, quando a Organização Mundial da Saúde declarou a Covid-19 situação de pandemia, tivemos que nos adaptar rápido às mudanças. Os Correios, e todos os seus empregados, precisaram se adaptar, quer seja em trabalho remoto ou na linha de frente.

Considerados como prestadores de serviços essenciais, o time Correios ajudou o Brasil a enfrentar a pandemia com sua força de trabalho e dedicação – o que continua na entrada do novo ano. 

Pedimos aos nossos empregados que gravassem depoimentos falando sobre como se sentiam ao prestarem um serviço essencial em um momento tão crítico. Recebemos depoimentos de todos os lugares do Brasil, de profissionais nos mais diversos cargos. 

O surpreendente é que, em todos os depoimentos, os sentimentos e emoções dos empregados soavam de forma tão uníssona que foi possível construir uma “única fala”, como se todos fossem uma mesma voz, mostrando a unidade que é ser Correios, que é ser essencial. Confira agora um pouco desse sentimento, que ficou ainda mais evidenciado no ano que agora termina:

Papai Noel dos Correios: uma história de amor e generosidade além da vida

Todo ano, no final de novembro, o telefone da coordenação de comunicação dos Correios em Sergipe tocava e era ela: pedia que a equipe da campanha Papai Noel dos Correios separasse algumas dezenas de cartinhas com pedidos de material escolar – cerca de 100, metade de meninos e metade de meninas. Parceira da ação há mais de 10 anos, Dona Carminha não falhava. De coração generoso, a professora aposentada assumiu a adoção das cartinhas como um compromisso, cumprido religiosamente. Ela não queria que nenhuma criança deixasse de estudar por falta de material.

Mas neste ano de 2020, Maria do Carmo Lima Machado Mendonça não ligou. A equipe do Papai Noel dos Correios estranhou a ausência, e tentou entrar em contato, sem sucesso. “Na reta final da campanha, soubemos, por sua filha, que ela estava isolada no sítio da família, com a saúde fragilizada e buscando se proteger dos riscos relacionados a essa pandemia”, conta a coordenadora de comunicação, Gabriela Melo. Mas no dia 8 de dezembro ela faleceu, aos 73 anos, vítima de infarto, deixando saudade entre aqueles que a conheciam.

Se dependesse da professora Maria do Carmo, nenhuma criança deixaria de estudar por falta de material escolar. Foto: Arquivo pessoal

Deixou, também, um grande exemplo de compaixão e fraternidade. Seus cinco filhos – que preferem não ter seus nomes revelados, por acreditarem que boas ações devem ser feitas sem alarde ou expectativas de reconhecimento – decidiram continuar adotando as cartinhas com pedidos de material escolar feitos ao Papai Noel dos Correios. Apesar de a campanha estar nos últimos dias, deu tempo de acertar tudo. Graças a mobilização da família, 94 crianças de escolas públicas da capital e no interior de Sergipe vão receber um kit com mochila, lápis de cor, caderno, estojo, lápis, caneta e borracha, entre outros itens.

De acordo com uma das filhas de Maria do Carmo, a família se reuniu logo após o falecimento e todos concordaram em abraçar o seu legado. “Juntos, queremos dar continuidade a esse gesto que ela fazia com tanto gosto”, disse a filha de Dona Carminha ao entrar em contato com a coordenação local do Papai Noel dos Correios. Tanto a notícia da partida de uma das parceiras mais antigas e fiéis da campanha, quanto a iniciativa da família, inspirada na generosidade de sua matriarca, emocionou a equipe dos Correios.

Seguindo o exemplo da mãe, os filhos de Maria do Carmo presentearam dezenas de crianças com kits escolares neste ano. Foto: Arquivo pessoal

Uma das crianças contempladas foi Lana Raquel, de 10 anos, moradora do bairro Santa Maria, em Aracaju. Em sua carta ao Papai Noel dos Correios, ela conta que gosta muito de brincar e estudar. “A luta por alimento é diária, e assim meus pais não têm condições de me dar um presente de Natal”, escreveu a menina, fazendo questão de explicar que não caprichou mais em sua cartinha por não ter lápis de cor.

Legado de educação e amor

Baixinha, de olhos azuis, alegre e muito forte, Maria do Carmo estudou e ensinou com empenho ao longo de toda a sua vida. Foi professora de Geografia do ensino fundamental e também da Universidade Federal de Sergipe (UFS), além de diretora de escola. Daí vinha sua consciência acerca da importância da educação.

“Ela era símbolo de liberdade, autonomia, coragem e, principalmente, alegria e amor. Tudo que sabemos sobre o amor veio dela, um amor que cura, que afaga a alma, que cuida e protege sem cansar. Gostava de ajudar o próximo, de cuidar de plantas, orquídeas, de cozinhar, bordar, ler e de uma boa rede. Mas amava mesmo era de ver a família junta, unida e cheia de amor”, conta uma das filhas de Dona Carminha, cheia de orgulho e saudade da mãe.

Papai Noel dos Correios: conheça os ajudantes do Bom Velhinho por todo Brasil

Papai Noel existe e pode ser empregado dos Correios. Foto: Divulgação/Correios

A campanha Papai Noel dos Correios só existe há mais de 30 anos porque pessoas reais fazem a magia acontecer. Foi dos empregados da empresa a iniciativa de adotar as cartinhas das crianças que escreviam ao Bom Velhinho, inspirando a campanha que tempos depois viraria uma ação institucional. Também é assim, de forma totalmente voluntária, que uma vez por ano empregados dos Correios guardam seus uniformes e crachás para assumirem outra missão especial: transformarem-se no velhinho mais querido pelas crianças!

De norte a sul do País, cada um deles tem seu jeito próprio de dar vida ao Noel. São incontáveis os “Bons Velhinhos” dessa história… Mas hoje vamos apresentar alguns deles, a começar pelo atendente comercial dos Correios, Márcio Pinheiro, do Rio de Janeiro (RJ). Carismático e comunicativo, ele não hesitou em dizer sim ao convite para ser ajudante do Noel este ano. “Quando você alegra uma criança, você dissipa esse sentimento entre os familiares também; não tem dinheiro no mundo que pague isso”, enfatiza.

O atendente Márcio Pinheiro, do Rio de Janeiro (RJ), é um dos empregados que dão vida e carisma ao Papai Noel dos Correios. Foto: Divulgação/Correios

Sempre envolvido com ações socioculturais dentro e fora da empresa, o agente de Correios, Gleyston Wdembergth Cunha, do Espírito Santo, usa todo seu talento para representar bem esse papel. “É muito gratificante saber que, com poucas ações, contribuímos para a construção de uma história linda da nossa empresa na sociedade”, ressalta o empregado que já atuou em cada etapa da campanha, desde o cadastramento das cartinhas até a triagem e entrega dos presentes.

O engenheiro Andre Eduardo dedica-se ao personagem há quatro anos.

Em Bauru, interior de São Paulo, há quatro anos o engenheiro Andre Eduardo Mednis dedica-se ao personagem e faz questão de deixar a barba branca crescer durante o ano todo. Tudo para que, no Natal, a figura do Papai Noel permaneça encantadora no imaginário. “Apesar de me considerar tímido, ficar rodeado de pessoas de todas as idades é gratificante. Ajudar os Correios a sensibilizar corações bondosos a presentear crianças cheias de sonhos é muito bom!”, destaca.

Além do toque pessoal ao darem vida ao Bom Velhinho, cada voluntário coleciona diferentes histórias, mas com muito em comum: a generosidade em doar tempo para fazer outras pessoas felizes. As boas memórias são a grande motivação para continuarem a vestir a fantasia do Noel e realizar sonhos.

A lembrança mais feliz de Marcelo Luiz Noronha, técnico de Correios em Brasília e Papai Noel há 26 anos, é de quando foi presenteado por uma criança. Certa vez, ao entregar a sonhada bicicleta para um pequeno garoto, inesperadamente ouviu dele: “espere um pouco”. O menino entrou em sua casa de chão batido e voltou dizendo: “Papai Noel, este é o seu presente de Natal”. “Era um bilboquê, um simples brinquedo seu, mas que contagiou e emocionou a todos naquele dia”, conta Marcelo. “Este é o sentimento que me faz ser Papai Noel todos os anos”.

Gleyston Cunha, do Espírito Santo, já atuou em várias etapa da campanha. Foto:Divulgação/Correios

Foi durante uma ação do Papai Noel dos Correios em um presídio que Carlos Alberto Soares Correa, técnico de Correios no Amazonas, percebeu que acreditar no Bom Velhinho vai muito além de receber um presente. O personagem também é uma figura que leva momentos de esperança para gente grande. “Muitos cantaram comigo, participaram das minhas brincadeiras. Senti naquele momento que dentro de cada um deles existia uma criança querendo apenas um abraço. Um deles me entregou um pedaço de papel com o nome do seu netinho pedindo um presente. Fiz questão de fazer o presente chegar até o garoto”, recorda-se Carlos.

Carlos Alberto Soares, técnico de Correios no Amazonas: acreditar no Bom Velhinho vai muito além de receber um presente. Foto: Correios/Divulgação

Para José Fábio Porto, carteiro no Rio Grande do Norte e há 15 anos atuando na campanha, uma dos momentos mais emocionantes foi quando teve a oportunidade de ser o Bom Velhinho durante uma festa para crianças com câncer. “Dei uma bola a um garotinho, ele apalpou o meu rosto, me deu um abraço e disse: ‘Papai Noel, obrigado por você existir! Desculpe se não fui bem este ano, é que infelizmente estou dodói e fiquei sem a visão, o senhor poderia trocar o meu presente?’. Rapidamente providenciamos a troca e, com esse pequeno gesto, alegramos o dia daquela criança”, conta.

Seja também um Noel – Com tantas histórias assim, é possível dizer: Papai Noel existe e ele pode ser você! Sim, porque além dos empregados que vestem gorro e barba para fazer a magia acontecer, todos aqueles que trabalham nos Correios atuam, de uma forma ou de outra, em prol do sucesso dessa grande corrente do bem. E, além deles, a empresa conta, todos os anos, com uma participação para lá de essencial: são os inúmeros Noéis espalhados pelo Brasil que, voluntariamente, tiram milhares de sonhos do papel.

Este ano, devido à pandemia, a campanha acontece 100% online e digital. Já são mais de 208 mil cartinhas adotadas até o momento, e o trenó do Bom Velhinho está quase ganhando os céus… Mas ainda é possível ser o Noel de uma criança em alguns Estados! Basta acessar o blog da campanha, clicar em “Seja você Noel” e seguir os passos. Com base na localidade informada, serão disponibilizadas as cartinhas e as sugestões de locais para entrega dos presentes.

Afinal… “Papo-furado é deixar de acreditar. Quando a força da magia só depende do querer. Esquece a barba branca, as renas e o gorro: o Papai Noel existe e eu posso chamar de você!”.

COMPRAS NO EXTERIOR
Entenda os fluxos postais e acompanhe a sua encomenda internacional

Agora que você já sabe que toda compra internacional é uma importação e conhece os diferentes tipos de fretes, é hora de saber mais sobre todos os fluxos postais envolvidos nesse processo.

Como já dito nas matérias anteriores, até chegar na sua casa, a encomenda vinda do exterior passa por várias etapas e procedimentos. Abaixo, vamos detalhar cada um deles:

Envio e chegada ao Brasil

No país de origem, os objetos são enviados de acordo com o método de envio contratado (saiba mais). Quando chegam ao Brasil, são direcionados para um dos três centros internacionais (CEINTs) da empresa, situados nos ambientes aeroportuários de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Cada local recebe categorias específicas de objetos, as cargas mais pesadas, por exemplo, são geralmente destinadas ao CEINT/RJ.

Procedimentos aduaneiros

Depois de dar entrada no País, alguns pacotes podem ter sido danificados durante o envio internacional. Por isso, os Correios tentam restaurar esses objetos e solucionar possíveis problemas com o endereço do destinatário. Se a encomenda não tem nenhum dano, ela passa por uma inspeção de raio X.

Casa sejam sinalizadas inconformidades ou ilegalidades, a encomenda é separada para análise da Polícia Federal e demais órgãos anuentes, como Anvisa, Exército e Ministério da Agricultura (Mapa), que podem impedir a entrada de itens proibidos no território nacional.

Após passar pelo raio X e pela inspeção de cães farejadores, se o objeto apresentar diferenças em relação ao que foi informado ele será encaminhado para análise da Alfândega brasileira, podendo ser taxado ou devolvido ao país de origem. Pacotes suspeitos podem ser abertos para análise e enviados para avaliação fiscal.

Todas as encomendas vinda do exterior podem ser taxadas, mesmo aquelas que não apresentam problemas.

Entrega ou devolução

Antes de liberar a entrega do objeto, autoridades alfandegárias também podem solicitar ao destinatário documentações complementares, como provas de valor e conteúdo, receita médica ou autorização de importação. Caso os documentos não sejam entregues dentro do prazo estabelecido, o item poderá ser destruído, doado ou leiloado.

Os objetos internacionais são armazenados pelos Correios por até 30 dias. Após esse período, são devolvidos ao remetente. A Alfândega também determina que objetos com descrições imprecisas ou incompletas sejam retornadas ao país de origem. Além disso, informações falsas podem gerar multas consideráveis para o destinatário.

Se forem liberadas pela Alfândega, todas as encomendas internacionais recebem a cobrança do despacho postal, valor de R$ 15 pago aos Correios pelo suporte às atividades de tratamento aduaneiro. Após o pagamento, os objetos são encaminhados aos centros logísticos dos Correios, espalhados por todo o País, para tratamento e distribuição.

O tempo de entrega irá depender do tipo de frete contratado. Se em até três tentativas, não for possível realizar a entrega, o objeto é enviado novamente ao remetente, por meio do centro internacional dos Correios em São Paulo (SP).

Aplicativo Correios: acompanhe a sua encomenda

Além do acesso pela plataforma “Minhas Importações”, no site dos Correios, agora você também pode acompanhar informações sobre a sua encomenda internacional pelo aplicativo Correios. A ferramenta oferece opções para efetuar o pagamento de impostos e serviços relacionadas às suas compras no exterior.

Basta acessar o app, cadastrar o seu CPF e senha, clicar em “Rastreamento” e digitar o código de rastreamento do objeto. Ao clicar no item, observe a informação que aparece na tela. Se aparecer “Aguardando pagamento do despacho postal”, por exemplo, basta clicar sobre a informação para visualizar a opção para pagamento por cartão de crédito ou boleto.

Esteja atento ao prazo de 30 dias para confirmação do pagamento do despacho postal. O boleto pode levar até 3 dias para ser processado. Por isso, acompanhe de perto o seu objeto: assim que concluir a sua compra internacional e obtiver o código e rastreio, efetue o pagamento dos serviços postais e tributos.

Dica: Para ser avisado sobre pendências de pagamento, ative as notificações do app e adicione uma descrição para cada um dos seus objetos internacionais (ex: “Presente de aniversário”).

Em cartinhas para o Papai Noel dos Correios, crianças pedem volta às aulas

Este ano, elas estão na internet, mas nem por isso deixaram de ser emocionantes. As cartinhas para o Papai Noel dos Correios muitas vezes são um meio de desabafo para os pequenos. A Eloá Andrade (10), do Oiapoque (AP), revelou que este não está sendo um ano fácil – por conta da pandemia e também do apagão que ocorreu no Estado.

O que também tem chamado a atenção na campanha de 2020 são os vários pedidos de retorno às aulas presencias nas escolas. A Natali Cardoso (10) pediu material escolar pra usar ano que vem e emendou um: “se Deus quiser, quando as aulas voltarem”.

A Helena de Jesus (9), de São Mateus (ES), também confessa que não vê a hora de retornar para o colégio. O Pedrinho (Pedro Jorge da Silva, 8) do Rio de Janeiro (RJ), diz que está com saudades dos amigos e da professora e quer ganhar um kit de ciências.

Pedidos inusitados

Não importa a letra da criança ou o desenho, o Bom Velhinho lê com o coração, por isso, entende tudo: para a menina Ana Laura da Silva (6), de Barbacena (MG), o pedido é uma casa de boneca. Já um robô ou dinossauro é o sonho do pequeno Ícaro Rodrigues Coelho (2), o menino de Itabira (MG).

Sonho, aliás, é uma das palavras que mais se repete nas cartinhas. Alguns deles, porém, dizem respeito a coisas que a maioria de nós sempre teve garantidas e, por isso, felizmente, nunca imaginamos em pedir: roupa, uma caixa de chocolate ou, até mesmo, uma casa com paredes de tijolo e um “chuveiro normal”, como sonha a Josiane Machado dos Reis (8), de Viana (ES).

Outros pedidos já são um pouco inusitados: como uma cauda de sereia, desejo de Isabelly Teófilo dos Santos, (7), de Paraisópolis (MG), ou simplesmente, “que o Natal, em nenhum dia, seja cancelado”, como pede a Maira Severo (8), de Demerval Lobão (PI).

Adote uma cartinha

A campanha mais amada do País está chegando à sua reta final, mas ainda é possível tirar sonhos do papel em muitos Estados.

Para adotar uma cartinha, acesse o blog do Papai Noel dos Correios. Na página, você pode conferir as datas da campanha e ainda consultar os pontos de entrega de presentes.

Mais segurança na entrada de objetos internacionais no País

As compras em sites do exterior estão cada vez mais populares entre os brasileiros. Quando chegam ao país, todas as encomendas internacionais tratadas pelos Correios seguem um caminho padrão: são direcionadas a um dos Centros de Tratamento Internacionais (CEINTs) da empresa, situados no ambiente aeroportuário de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Novos esquipamentos de raio X dos Correios: maior precisão para inspecionar objetos

Para garantir a segurança na entrada desses objetos no País, os Correios investiram cerca de R$ 14 milhões na aquisição de 59 novos equipamentos de raio X. Os primeiros aparelhos já foram instalados, no último mês, nos CEINTs do Rio de Janeiro (RJ) e de Valinhos, no interior de São Paulo.

Além de aumentar em até quatro vezes a capacidade de inspeção das encomendas, o novo maquinário permite visualizar os objetos em 2D, o que evitará a entrada de itens perigosos e proibidos, como inflamáveis, drogas e armas. “O próprio equipamento identifica ainda inconsistências entre o que foi declarado pelo remetente e o que realmente consta no pacote”, explica Marco Aurélio Montezuma, gerente da atividade de captação do CEINT/RJ.

Uma vez identificado o que há dentro do pacote, também é possível combater a evasão de divisas. O controle aduaneiro desenvolvido no CEINTs é realizado em parceria com a Receita Federal com o objetivo de combater fraudes tributárias e desvios aduaneiros.

O Centro de Tratamento Internacional dos Correios no Rio de Janeiro (Ceint/RJ) foi um dos primeiros a receber os novos equipamento. (Foto: Divulgação/Correios)

Fluxos

Se não for detectada irregularidade durante as inspeções, a encomenda internacional segue o seu percurso no fluxo postal. No entanto, caso sejam sinalizadas possíveis inconformidades ou ilegalidades, a encomenda é separada para análise criteriosa.

É realizado então um processamento pela Polícia Federal e pelos demais órgãos anuentes: Anvisa, Exército e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Após a liberação do objeto, este é cadastrado no sistema dos Correios.

Passadas essas etapas, o objeto é armazenado e fica aguardando pagamento do Despacho Postal para ser separado e distribuído ao cliente. O prazo para pagamento da taxa é de 35 dias. Caso ele expire, o objeto é submetido novamente ao raio X do CEINT e devolvido ao remetente. Concluída a etapa do pagamento, a encomenda está pronta para seguir seu caminho final, rumo ao endereço de destino.